Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

lettre de cachet

lettre de cachetlettre de cachet | loc.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

lettre de cachet


(locução francesa)
locução

Carta fechada que contém instruções e ordens secretas, para ser unicamente aberta em dadas circunstâncias. = CARTA DE PREGO

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "lettre de cachet" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

Ver em Michel FOUCAULT, A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS - página 97 http://files.philoethos.webnode.pt/200000028-67bb66814c/FOUCAULT%20-%20A%20verdade%20e%20as%20formas%20juridicas.pdf

Em Grupo Beatrice

aventure ! Mortelles attractions Date de publication Am'Xo Les guerres de Lisa Nu couche Edmond Caumat, deuxieme classe Gwendoline arrete de fumer ! En toute franchise Les Yeux fardes http://tinyurl.com/h7lddza Les Chartrons La Lettre de Coree Bonnes nouvelles de Chassignet Eleanor Rigby Une Ile en

Em blephidadal.blogs.sapo.pt

ebook gratis, La Lettre écarlate de Nathaniel Hawthorne download ebook gratis langsung tanpa bayar tanpa daftar calibre - Download for Windows - calibre - E-book. calibre: The one stop solution for all your e-book needs. Comprehensive e-book software.. 64bit calibre can be installed at the same time as

Em writinorak.blogs.sapo.pt

de alguns artistas face ao exíguo cachet que lhes é proposto pela RTP: 10 contos a cada intérprete.” “Os músicos pretendem ‘o aumento dos cachets pagos pela Radiotelevisão Portuguesa e o respetivo pagamento em prazos aceitáveis (porque atualmente tem chegado a demorar 8 meses), a utilização dos

Em Pratinho de Couratos

obsessive dialogue with writers of the past, filtered in many cases through conversations with Diderot. In 1749, Rousseau was paying daily visits to Diderot, who had been thrown into the fortress of Vincennes under a lettre de cachet for opinions in his “ Lettre sur les aveugles “, that hinted at

Em acordocoletivo.org
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Encontrei uma resposta que passo a transcrever "Na frase Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante existe uma locução (aquele grupo de jovens) que corresponde a um sujeito da oração subordinada (quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante) com uma estrutura complexa. Nesta locução, o núcleo do sintagma é grupo, e é com este substantivo que deve concordar o verbo encontrar. Desta forma, a frase correcta seria Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontrou perto do restaurante."
Sendo que a frase em questão foi retirada do Campeonato Nacional de Língua Portuguesa, e a frase completa é "Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontraram perto da discoteca, aonde o Diogo os aguardava". Segundo a vossa resposta, dever-se-ia ter escrito "(...) aquele grupo de jovens se encontrou (...)". Mas se assim for, também seria de considerar "aonde o Diogo os aguardava", pois se consideramos que o sujeito é singular, não faz sentido dizer "os aguardava", mas sim "o aguardava". No entanto, não podemos considerar que existe concordância atractiva em que "deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo." (Gramática do Português Contemporâneo Cunha/Cintra)? Agradeço elucidação se mantêm a vossa opinião, tendo a frase completa. Já agora, na frase utiliza-se "aonde Diogo os esperava". Não deveria ser "onde"?
A Priberam Informática não pretende responder especificamente a perguntas do Campeonato Nacional da Língua Portuguesa, mas apenas a dúvidas linguísticas que lhe são colocadas e que são consideradas pertinentes, sendo as respostas redigidas tendo em conta a clareza e a concisão para os utilizadores.

As concordâncias são um caso problemático no português, como deixam claro Telmo Móia e João Peres no capítulo 7 de Áreas Críticas do Português (Caminho, 1995), e o caso em questão, aquele grupo de jovens, parece fazer parte de um conjunto de expressões formadas por um nome (como grupo ou conjunto) que, combinado com outro, “permitem referir colecções de objectos, sem as quantificarem” (Móia e Peres, p. 471). Esta reflexão parece mostrar que este grupo difere um pouco das expressões partitivas (como parte, porção ou maioria) que referem Celso Cunha e Lindley Cintra na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Edições João Sá da Costa, 1998, p. 496). No entanto, tanto num caso como noutro, a construção mais neutra deveria corresponder a uma unidade, ao todo, isto é, pegando no texto de Cunha e Cintra ("Deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo."), o plural parece ser uma maneira de modalizar o discurso, dando-lhe um matiz menos neutro, enfatizando, na unidade, os seus elementos constituintes. Vemos como estas construções são problemáticas quando comparadas, por exemplo, com um grupo nominal como carro das mercadorias, onde não hesitaríamos (ou hesitaríamos menos) em identificá-lo como uma unidade, com a correspondente flexão do verbo que se lhe seguisse (O carro das mercadorias entrou na rua). Por este motivo reiteramos as nossas observações da resposta concordâncias (I).

No que diz respeito à concordância do pronome pessoal os em Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontrou perto da discoteca, onde o Diogo os aguardava, pode dizer-se que, sendo um pronome pessoal, deve concordar com o seu antecedente, mas este antecedente não tem necessariamente de ser o sujeito da frase. Retomando um exemplo acima (O carro das mercadorias entrou na rua) podemos adaptá-lo a uma construção afim em que a concordância é possível com qualquer dos antecedentes (O carro das mercadorias entrou na rua, onde o comerciante as/o aguardava). São estas concordâncias possíveis com mais de um antecedente que por vezes tornam as frases ambíguas.

Relativamente à sua questão sobre onde e aonde, por favor consulte a resposta onde / aonde.

Sem qualquer crítica ao referido campeonato, podemos no entanto observar que a maioria das questões problemáticas da língua não se adequa a respostas apenas com dois valores, como sim/não ou correcto/incorrecto, pois contém uma complexidade que as ultrapassa.




Qual o plural de matéria-prima? Matérias-primas?
De acordo com a Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra (p. 189), quando uma palavra hifenizada é composta por um substantivo e um adjectivo, como é o caso de matéria-prima, ambos os elementos da palavra flexionam em número, mantendo-se a concordância entre eles. Assim, o plural de matéria-prima é matérias-primas, tal como o plural de amor-perfeito é amores-perfeitos e o de batata-doce é batatas-doces.
pub

Palavra do dia

es·pa·di·ci·flo·ro |ó|es·pa·di·ci·flo·ro |ó|


(espadice + -floro)
adjectivo
adjetivo

[Botânica]   [Botânica]  Diz-se da planta cuja inflorescência é a espadice.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/lettre%20de%20cachet [consultado em 07-12-2021]