Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

intravertebrado

intravertebradointravertebrado | adj.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

in·tra·ver·te·bra·do in·tra·ver·te·bra·do


adjectivo
adjetivo

[Zoologia]   [Zoologia]  Que tem esqueleto vertebral no interior do corpo (em oposição a articulado).

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Dúvidas linguísticas


Se me permitem, vou transcrever-vos duas frases que me surgiram e alterei, por senti-las erradas. Agradeço antecipadamente a vossa ajuda. Frase 1: A estabilidade e a sincronização facultam-nos o grau de previsibilidade que precisamos para funcionarmos como indivíduos em grupos sociais e especialmente na economia. Para além de ter corrigido o que precisamos - parece-me que deve ser de que precisamos, lá vem a grande questão. Transformei o funcionarmos em funcionar. De que precisamos para funcionar. Puro instinto, e espero que acertado. Há uma regra geral? Frase 2: E das velhinhas enregeladas, nas escadarias dos edifícios públicos, a tentar vender uma esferográfica ou uma pega de cozinha – os seus únicos pertences. Aqui foi o contrário. Achei que o correcto seria a tentarem vender.
As dúvidas colocadas relativamente às frases 1 e 2 dizem essencialmente respeito ao uso do infinitivo pessoal (ou flexionado) e do infinitivo impessoal (ou não flexionado).

A alteração na frase 1 de "para funcionarmos" para "para funcionar" na oração final não é obrigatória, mas é possível por questões de eufonia e por se tratar do mesmo sujeito da oração relativa (que [nós] precisamos) de que depende; sobre este assunto, por favor consulte a resposta infinitivo em orações adverbiais finais (de notar que se o sujeito estivesse explícito na oração final, esta alteração não seria possível: *o grau de previsibilidade que precisamos para nós funcionar).

A alteração na frase 2 de "velhinhas [...] a tentar vender" para "velhinhas [...] a tentarem vender" também não é obrigatória, e terá igualmente causas eufónicas, uma vez que, neste contexto de infinitivo antecedido da preposição a e sem verbo auxiliar, pode ocorrer tanto o infinitivo pessoal como o infinitivo impessoal. Este tipo de estrutura pode ser substituído por um gerúndio (ex.: "velhinhas [...] tentando vender"), pelo que se designa por infinitivo gerundivo (cf. Maria Helena Mira MATEUS et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003, pp. 643-645) e também por infinitivo de narração ou infinitivo histórico (cf. Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Sá da Costa, p. 483 e Evanildo BECHARA, Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Lucerna, 37.ª ed., 2002, p. 284 e p. 528).

Relativamente à alteração de "que precisamos" para "de que precisamos", por favor consulte as respostas convencido de que e regência de precisar.




Na frase por defeito é esta a directoria, gostava de saber se o termo por defeito pode ou não ser utilizado. Fui corrigido por alguém que diz que o termo correcto é por omissão.
Para além do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências/Verbo é o único dicionário consultado que regista a locução adverbial por defeito, mas mesmo este dicionário, que habitualmente averba mais locuções do que os outros dicionários de língua, regista apenas uma acepção de por defeito que se opõe a por excesso (ex.: estimou a despesa por defeito), não contemplando a acepção que corresponde ao uso indicado na frase que menciona (por defeito é esta a directoria).
Este último uso é muito frequente para indicar determinada característica ou acção que está de acordo com uma configuração predefinida, por ausência de acção ou de intervenção de um utilizador ou agente.

Apesar de não haver registo na maioria dos dicionários consultados e de haver quem afirme que se trata de um decalque do inglês in default ou by default, não parece haver motivo sólido para condenar esta utilização da locução por defeito, mesmo porque é usada uma locução equivalente noutras línguas românicas como o francês (par défaut), o espanhol (por defecto) ou o catalão (per defecte).

A locução por omissão pode ser uma alternativa, mas, da mesma forma que um dos argumentos para não utilizar por defeito é não ter a palavra defeito uma acepção que indique uma ‘opção seleccionada automaticamente salvo se for indicada outra’, como acontece no inglês, também a palavra omissão não a tem, podendo apenas o seu sentido ser depreendido da acepção que indica ‘o acto de omitir algo’ ou ‘aquilo que é omitido’.

Uma alternativa clara a estas duas locuções poderia ser por predefinição, locução usada em algumas aplicações informáticas.

pub

Palavra do dia

ron·cei·ro ron·cei·ro


(espanhol roncero, de ronce, manifestação de carinho para conseguir algo)
adjectivo
adjetivo

1. Que age ou se mexe devagar (ex.: seguia num passo ronceiro). = LENTO, PACHORRENTO, VAGAROSOAÇODADO, APRESSADO, DESEMBESTADO

2. Que mostra preguiça ou não gosta de trabalhar ou estudar (ex.: cavalo ronceiro). = INDOLENTE, MADRAÇO, MANDRIÃO, PREGUIÇOSO

Confrontar: roceiro.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/intravertebrado [consultado em 24-03-2023]