Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

geço

gecogeco | n. m.
geçogeço | n.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ge·co |é|ge·co |é|


nome masculino

Lagarto das regiões quentes, muito estridente.


geço geço


nome

(A definição desta palavra irá estar disponível brevemente. Envie comentários ou sugestões para dicionario@priberam.pt)
pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Anagramas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




Agradecia um esclarecimento em relação à utilização de maiúsculas ou minúsculas quando falamos em nacionalidade. Na frase "A firma Portuguesa X pertence a uma cooperativa Japonesa", Portuguesa e Japonesa devem escrever-se em maiúsculas ou minúsculas? No caso de se poder escrever das duas formas, alguma delas é mais correcta? Preciso de escrever esta frase num contexto legal, daí a minha pergunta.
O uso das maiúsculas está regulamentado pelas bases XXXIX a XLVII do Acordo Ortográfico em vigor para o português europeu. A dúvida colocada diz respeito ao uso de maiúsculas no que é designado no Acordo por "nomes étnicos", isto é, nomes que designam os naturais ou habitantes de uma região ou os pertencentes a grupos humanos como etnias ou afins, ou os respectivos adjectivos, relativos a essa região ou a esses grupos humanos específicos. O texto legal do Acordo afirma que se escrevem com maiúscula "os nomes de raças, povos ou populações, qualquer que seja a sua modalidade", apresentando como exemplos "os Açorianos, os Americanos, os Brasileiros, os Cariocas, os Hispanos, os Lisboetas, os Louletanos, os Marcianos, os Mato-Grossenses, os Minhotos, os Murtoseiros, os Negros, os Portugueses, os Tupinambás". Deve notar-se, no entanto, que se trata do nome ou substantivo, e não do adjectivo (ex.: transportes açorianos, presidente americano); além disso, os nomes étnicos para os quais o Acordo recomenda o uso de maiúscula devem distinguir-se dos nomes comuns que não designam todo o grupo étnico, "e que, como tais, exigem o emprego da minúscula inicial: muitos americanos, quaisquer portugueses, todos os brasileiros".

Pelos motivos acima apontados, não há qualquer motivo para escrever com inicial maiúscula os adjectivos português e japonês na frase A firma portuguesa X pertence a uma cooperativa japonesa.

pub

Palavra do dia

jan·ga·la·mar·te jan·ga·la·mar·te


(origem duvidosa)
nome masculino

[Brasil: Nordeste]   [Brasil: Nordeste]  Brinquedo composto por uma tábua cujas extremidades se elevam e baixam alternativamente a impulso de quem cavalga em cada uma delas. = ARRE-BURRINHO, GANGORRA, JANGALAMASTE

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/ge%C3%A7o [consultado em 15-06-2021]