PT
BR
Pesquisar
Definições



fracasso

A forma fracassopode ser [primeira pessoa singular do presente do indicativo de fracassarfracassar] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
fracassofracasso
( fra·cas·so

fra·cas·so

)


nome masculino

1. Estrondo de coisa que se parte ou cai. = BAQUE

2. Mau resultado. = MALOGROÊXITO, SUCESSO

3. Ruína, desgraça.

etimologiaOrigem etimológica:italiano fracasso.
fracassarfracassar
( fra·cas·sar

fra·cas·sar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Derribar com estrondo.

2. Quebrar.


verbo intransitivo

3. Ter mau êxito.

4. Arruinar-se, falhar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "fracasso" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas


Qual a forma correcta de pronúncia da palavra menu : "ménu" ou "menú"?
Na questão colocada, não está em causa a acentuação (a palavra é sempre acentuada na última sílaba: menu), mas a qualidade da vogal. Por exemplo, uma vogal que corresponde à letra e pode corresponder ao som [È], como em fé, ao som [e], como em dedo, ao som [i], como em de ou medicina, ou ainda ao som [á], como por vezes em coelho.

No português, como regra geral (com muitas excepções), as vogais que não pertencem a uma sílaba tónica são elevadas. Por exemplo, no caso da vogal e nas palavras génio e genial, o som [È] (vogal mais baixa) da palavra nio (com acento tónico em ) passa a pronunciar-se [i] (vogal mais alta) em genial pois a sílaba tónica passou a ser a última genial.

Esta regra geral aplica-se a menu e aí, como a sílaba tónica é nu, a sílaba me pode pronunciar-se [mi]nu, como em de ou medicina, (e é esta a pronúncia registada no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia da Ciências/Verbo e, posteriormente, no Grande Dicionário Língua Portuguesa, da Porto Editora). A palavra menu, apesar de já ser usada correntemente em português, é de origem francesa, sendo pronunciada com [i] também nessa língua. Desta forma, não há então motivo fonológico ou etimológico para se pronunciar menu com é aberto.




Como fiz à [sic] pouco tempo um exame fiquei com algumas dúvidas em algumas questões e o pior é que às pessoas que pergunto ninguém me sabe dar uma resposta concreta.
1) Tendo em conta a questão linguística a frase: Numa democracia, a educação não pode ser um previlégio das elites. -Está correcta. -está incorrecta.
2) Na frase: "faz o trabalho comigo", comigo é: - complemento directo. - complemento indirecto. - complemento circunstancial.
3) Qual é a frase que indica correctamente que alguém teve um encontro quando era uma hora? - Encontrei-o à uma hora. - Encontrei-o há uma hora. - Encontrei-o por volta da uma hora.
4) Palatalização é um fenómeno fonético de : - queda de sons - transformação de sons - adição de sons
5) Identifique a frase incorrecta: - O António trouxe-te o livro? - Touxes-te os livros que te pedi? - Trouxemos os livros do António? - Como não podia com os livros o António trouxe-mos.
6) Quantos erros identifica neste texto: Soube-se que a venda de livros baixou. Na verdade, lê-se muito pouco e escreve-se ainda menos. Se se escrevesse e lesse mais, a cultura seria mais sólida e os cidadãos mais intrevenientes. - um erro - dois erros - três erros - quatro erros
7) Identifique a frase em que se verifica um erro de sintaxe? - Não lhe trataram como merecia. - Não lhe deram a devida atenção. - Não lhe trouxeram o que pediu. - Não lhe fizeram qualquer pergunta.
Sem prejuízo de outros critérios de correcção, e apesar de este serviço de dúvidas linguísticas não se substituir a uma correcção pedagógica de âmbito escolar, pode dizer-se sucintamente o seguinte:

1) A questão contém um erro ortográfico em previlégio, que se deverá grafar privilégio.
2) Na resposta deverá referir-se que comigo é complemento circunstancial, pois tem uma função adverbial e não corresponde a um complemento obrigatório do verbo fazer, ao contrário do sintagma nominal o trabalho, que desempenha função de complemento directo.
3) Deve dizer-se que é a hipótese Encontrei-o à uma hora que indica que alguém teve um encontro quando era uma hora, pois a frase encontrei-o há uma hora indicaria um encontro ocorrido precisamente uma hora antes da enunciação. Sobre este assunto, poderá consultar a resposta à ou há (a este propósito, deve dizer-se também que na sua questão escreve como fiz à pouco um exame, onde deverá utilizar e não à, pois trata-se de tempo decorrido).
4) Sobre a palatalização, deve dizer-se que se trata de um fenómeno de transformação de sons, muito frequente, por exemplo, na passagem do latim ao português (ex.: filium > filho) ou no dialecto madeirense, quando um /l/ depois de um /i/ é lido lh (ex.: vila pronuncia-se < vi[λ]a).
5) A pergunta diz novamente respeito à ortografia, sendo que a frase ortograficamente incorrecta é Trouxes-te os livros que te pedi?, pois a forma *trouxes é inexistente, pelo que não pode ser seguida do pronome pessoal -te. Sobre esta questão, por favor consulte também a resposta falaste/falas-te, comoveste/comoves-te.
6) A questão contém apenas um erro ortográfico em intrevenientes, que se deverá grafar intervenientes.
7) A frase que contém um erro de sintaxe é Não lhe trataram como merecia, pois o verbo tratar é transitivo directo, pelo que o pronome deverá ser o e não lhe (não o trataram como merecia).

Alguns destes erros, entre muitos outros, podem ser detectados através do corrector ortográfico do FLiP, disponível online em versão gratuita em https://www.flip.pt/FLiPOnline.