Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

fede-fede

fede-fedefede-fede | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

fe·de·-fe·de fe·de·-fe·de


(forma do verbo feder, com redobro)
nome masculino

[Brasil]   [Brasil]   [Entomologia]   [Entomologia]  Insecto hemíptero (Nezara viridula), de cor verde e cheiro considerado desagradável.Ver imagem = PERCEVEJO-VERDE

Plural: fede-fedes.Plural: fede-fedes.
pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

branqueamento de capitais em negócios entre o FC Porto e a SAD do Portimonense. Segundo o CM, as autoridades defendem que Pinto da Costa e Teodoro Fonseca obtiveram ganhos pessoais neste negócios entre os dois clubes. Transferências de jogadores como Danilo Pereira, Paulinho, Galeno, Fede Varela, Rafa Soares ou

Em VISEU, terra de Viriato.

ali - longa vida às marteladas nos crânios. Sejamos claros: era díficil conceber e imaginar uma sequela para o culto rápido que se criou em torno da fita de Fede Alvarez - aqui produtor e guionista, deixando a realização a cargo do seu bem conhecido compatriota Rodo Sayagues -, quanto mais para uma

Em Cinema Notebook

Cinco anos depois de Fede Alvarez ter surpreendido o mundo do terror com o claustrofibico Don't Breathe, filme que resultou bastante bem não só em termos comerciais mas acima de tudo em termos criticos eis que surge a sua natural sequela, apostada em rentabilizar ao maximo a personagem de Blind Man

Em Bateman's critics

); - Manafá (Portimonense SC – FC Porto); - Rafa Soares (Portimonense SC – FC Porto); - Inácio (Porto B – Portimonense SC); - Fede Varela (Porto B – Portimonense SC); - Chidera Ezeh (FC Porto – Portimonense SC – FC Porto – Portimonense SC); - Danilo (Marítimo – Portimonense SC – FC Porto); - Yahaya (FC Porto

Em O INDEFECTÍVEL

não gostar muito de pretos, que não são gente de bem e não passam de dejectos! O Ventura apenas pede que o compreendam bem: o cigano (ou o preto) fede e os socialistas também! Eugénio Lisboa, num dia em que o estro estava fraco.

Em De Rerum Natura
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual é o diminutivo da palavra foto? Esse diminutivo é masculino ou feminino?
A adjunção de sufixos diminutivos não altera as propriedades morfossintácticas do derivante, que são herdadas pelo derivado. Assim, por exemplo, os sufixos -inho e -zinho alteram apenas a informação semântica (o juízo de valor que se faz sobre a forma de base a que se juntam), mantendo a mesma categoria sintáctica e o mesmo género do derivante: quando se associam a um adjectivo geram um adjectivo (moderno/a - moderninho/a - modernozinho/a), quando se associam a um nome geram um nome (papel - papelinho - papelzinho) e quando se associam a um advérbio geram um advérbio (devagar - devagarinho - devagarzinho).

Tradicionalmente, os sufixos -inho e -zinho são considerados o mesmo, sendo a consoante -z- encarada como um elemento de ligação, pelo que a forma -zinho é tida como uma variante de -inho. No entanto, o seu emprego é distinto, já que se associam a diferentes formas de base, o que faz deles mais do que meras variantes. O sufixo -inho associa-se a radicais, mantendo sempre a vogal da forma de base no caso de palavras de tema em -a ou -o (ex.: um livro - um livrinho; uma caneta - uma canetinha; um pijama - um pijaminha; uma tribo - uma tribinho) e, no caso de palavras de tema em -e ou de tema nulo, substituindo a vogal da forma de base por -a e por -o, consoante os valores de feminino e masculino, respectivamente, da palavra de base (ex.: um sabonete - um sabonetinho; uma semente - uma sementinha; um anel - um anelinho; uma espiral - uma espiralinha). O sufixo -zinho associa-se a palavras (e não a radicais), mantendo a vogal temática de acordo com o género da palavra de base (ex.: um livro - um livrozinho; uma caneta - uma canetazinha; um pijama - um pijamazinho; uma tribo - uma tribozinha; um sabonete - um sabonetezinho; uma semente - uma sementezinha; um anel - um anelzinho; uma espiral - uma espiralzinha). O mesmo é válido para os sufixos -ito e -zito.

Posto isto, o substantivo feminino foto (redução de fotografia) pode apresentar vários diminutivos, consoante os sufixos usados, sendo todos femininos: uma foto - uma fotinho, uma fotozinha, uma fotito, uma fotozita. Não há muitos substantivos femininos terminados em -o (para além de foto e tribo, a lista inclui expo (redução de exposição), imago, libido, moto, virago e pouco mais) e o seu uso no grau diminutivo não é dos mais frequentes, o que justifica as hesitações e, por vezes, as incorrecções de alguns falantes.




Escreve-se dispor ou dispôr? Já ouvi que ambas estão correctas, embora talvez a última tenha caído em desuso; será?
O verbo pôr tem acento circunflexo por necessidade de distinção clara da preposição por. No entanto, nenhum dos seus derivados ou cognatos tem acento circunflexo, por já não haver necessidade de qualquer distinção. Desta forma, a única ortografia correcta será dispor, como poderá encontrar no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, onde poderá confirmar também outros verbos cognatos como apor, antepor, compor, contrapor, depor, dispor, expor, justapor, opor, propor, etc.
pub

Palavra do dia

per·ca·li·na per·ca·li·na


(francês percaline)
nome feminino

Tecido de algodão, leve e lustroso, empregado sobretudo em forros e em encadernações de livros.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/fede-fede [consultado em 20-01-2022]