Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

fala-barato

fala-baratofala-barato | n. 2 g.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

fa·la·-ba·ra·to fa·la·-ba·ra·to


nome de dois géneros

[Portugal, Informal, Depreciativo]   [Portugal, Informal, Depreciativo]  Pessoa que fala muito mas não prova.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "fala-barato" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

correu para o populismo fácil. Caro Dr. Rui Rio, diga-me um voo direto que cujo preço médio seja mais barato do que o preço com escala no mesmo voo? O caso do português que paga três vezes e meia o que paga um espanhol para voar na TAP para São Francisco, dado por Rui Rio no debate com António Costa, que

Em www.ultraperiferias.pt

”, sonha o autarca, que confessa: “Tenho um empresário que me fala há 10 anos que assim que dão um passo Portugal abre um posto de gasolina na cidade. “Hoje, para reabastecer tens de viajar 50 quilómetros até Valência de Alcántara. Os vizinhos concordam: gostariam de uma passagem permanente para Portugal

Em BioTerra

candidatura não terá como foco único o combate à corrupção, a maior parte da fala do ex-juiz e as peças de publicidade apresentadas no evento seguem a linha de tentar recuperar a credibilidade da extinta operação. Nessa linha, sugeriu a criação e uma corte nacional anticorrupção, a exemplo de outros países, e

Em Caderno B

para Portugal, a revista cita o custo de vida que é “menos de metade do da Califórnia”, salientando que “ um bom vinho de supermercado é mais barato do que a água engarrafada ” no Estado norte-americano. powered by plista Além disso, refere os “impostos baixos” e “a banda larga omnipresente” como

Em VISEU, terra de Viriato.

quem vive nas escolas e nas universidades que, desde há muito, perderam a sua função essencial: formar cidadãos cultos, solidários, dotados de sentido crítico e de consciência cívica. Deste modo, em todos os países europeus se reaviva o debate quando se fala de novas reformas. A questão é, sem dúvida

Em De Rerum Natura
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual é o diminutivo da palavra foto? Esse diminutivo é masculino ou feminino?
A adjunção de sufixos diminutivos não altera as propriedades morfossintácticas do derivante, que são herdadas pelo derivado. Assim, por exemplo, os sufixos -inho e -zinho alteram apenas a informação semântica (o juízo de valor que se faz sobre a forma de base a que se juntam), mantendo a mesma categoria sintáctica e o mesmo género do derivante: quando se associam a um adjectivo geram um adjectivo (moderno/a - moderninho/a - modernozinho/a), quando se associam a um nome geram um nome (papel - papelinho - papelzinho) e quando se associam a um advérbio geram um advérbio (devagar - devagarinho - devagarzinho).

Tradicionalmente, os sufixos -inho e -zinho são considerados o mesmo, sendo a consoante -z- encarada como um elemento de ligação, pelo que a forma -zinho é tida como uma variante de -inho. No entanto, o seu emprego é distinto, já que se associam a diferentes formas de base, o que faz deles mais do que meras variantes. O sufixo -inho associa-se a radicais, mantendo sempre a vogal da forma de base no caso de palavras de tema em -a ou -o (ex.: um livro - um livrinho; uma caneta - uma canetinha; um pijama - um pijaminha; uma tribo - uma tribinho) e, no caso de palavras de tema em -e ou de tema nulo, substituindo a vogal da forma de base por -a e por -o, consoante os valores de feminino e masculino, respectivamente, da palavra de base (ex.: um sabonete - um sabonetinho; uma semente - uma sementinha; um anel - um anelinho; uma espiral - uma espiralinha). O sufixo -zinho associa-se a palavras (e não a radicais), mantendo a vogal temática de acordo com o género da palavra de base (ex.: um livro - um livrozinho; uma caneta - uma canetazinha; um pijama - um pijamazinho; uma tribo - uma tribozinha; um sabonete - um sabonetezinho; uma semente - uma sementezinha; um anel - um anelzinho; uma espiral - uma espiralzinha). O mesmo é válido para os sufixos -ito e -zito.

Posto isto, o substantivo feminino foto (redução de fotografia) pode apresentar vários diminutivos, consoante os sufixos usados, sendo todos femininos: uma foto - uma fotinho, uma fotozinha, uma fotito, uma fotozita. Não há muitos substantivos femininos terminados em -o (para além de foto e tribo, a lista inclui expo (redução de exposição), imago, libido, moto, virago e pouco mais) e o seu uso no grau diminutivo não é dos mais frequentes, o que justifica as hesitações e, por vezes, as incorrecções de alguns falantes.




Estou com a seguinte dúvida: sucro-alcooleira é com hífen ou sem (sucroalcooleira). Qual é a forma correta, pois não a acho em nenhum dicionário?
A palavra sucroalcooleiro encontra-se registada, sem hífen, em alguns dicionários de língua portuguesa, nomeadamente no Dicionário Priberam, com os sentidos “que é relativo ao álcool e ao açúcar” ou “que produz álcool e açúcar”.
pub

Palavra do dia

per·ca·li·na per·ca·li·na


(francês percaline)
nome feminino

Tecido de algodão, leve e lustroso, empregado sobretudo em forros e em encadernações de livros.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/fala-barato [consultado em 20-01-2022]