PT
BR
Pesquisar
Definições



dissolvente

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
dissolventedissolvente
( dis·sol·ven·te

dis·sol·ven·te

)


adjectivo de dois géneros e nome de dois génerosadjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

1. Que ou o que tem a propriedade de dissolver.

2. [Figurado] [Figurado] Que ou aquilo que desorganiza ou corrompe. = CORRUPTOR, DESORGANIZADOR


adjectivo de dois géneros e nome masculinoadjetivo de dois géneros e nome masculino

3. Que ou líquido que tem a capacidade de dissolver outras substâncias. = SOLVENTE

etimologiaOrigem etimológica:latim dissolvens, -entis, particípio presente de dissolvo, -ere, separar, desunir, desligar, desfazer os nós, pagar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "dissolvente" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber qual o antônimo de pensando.
É difícil encontrar uma palavra antónima para o verbo pensar (o mais fácil é a locução não pensar). No entanto, e apenas em alguns contextos, é possível utilizar o antónimo esquecer (por exemplo, pensou no pai) ou desconhecer (por exemplo, pensou na solução mais correcta).



Queria saber qual o significado da palavra quinestésicas e se essa palavra tem alguma coisa em comum, alguma relação com a palavra cinestésicas.
A palavra quinestésicas não se encontra averbada em nenhum dos dicionários de língua portuguesa por nós consultados; a forma consagrada é cinestésicas, feminino plural de cinestésico (não confundir com o parónimo cenestésico nem com o homófono sinestésico, “relativo a sinestesia”). A utilização do prefixo quine- em vez do canónico cine- (do grego kinéô ”pôr em movimento”) desrespeita regras etimológicas gerais de evolução do grego ao português, por intermédio do latim. De facto, como afirma José Inez Louro em O Grego Aplicado à Linguagem Científica (Porto, Editora Educação Nacional, 1940, p. 137), o k grego passou para latim e para português com a forma c, tanto antes de consoante como antes de vogal (ex.: cataclismo), mas em português tornou-se sibilante antes de e ou i (ex.: cena, ciclo). A grafia quine- resulta de influências linguísticas externas, no caso em apreço, dos termos ingleses kinesthetic (cinestésico) e kinesthesia (cinestesia), que mantêm uma relação mais próxima do grego.