Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

criou

3ª pess. sing. pret. perf. ind. de criarcriar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

cri·ar cri·ar

- ConjugarConjugar

(latim creo, -are)
verbo transitivo

1. Dar existência a.

2. Dar o ser a.

3. Gerar; produzir.

4. Originar.

5. Educar.

6. Inventar.

7. Fomentar; estabelecer; interpretar.

verbo pronominal

8. Nascer; produzir-se.

9. Crescer; passar à juventude.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "criou" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...da Fraude", manteve entre setembro de 2014 e dezembro de 2016 uma quadrilha que criou um golpe

Em Caderno B

...patentear suas descobertas para comercializar sua invenção", diz Pagano, que também é ilustrador e criou

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS

Ela criou o Movimento da Juventude Indígena de Rondônia no início de 2021..

Em a peida é um regalo ... do nariz a gente trata

...mundo à nossa volta e violamos a aliança sagrada com o Deus que nos criou e nos formou..

Em Blog da Sagrada Família

O NJPW criou , no dia 7 de agosto de 2020, o NJPW Strong..

Em www.wrestling-noticias.com
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


A minha dúvida é como se escreve correctamente esquece e comece, o c é com cedilha ou sem cedilha?
Como pode verificar no capítulo Sinais ortográficos da Gramática do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, a cedilha apenas se coloca sob o c antes das vogais a, o ou u e nunca antes de e ou i. De acordo com esta regra, as formas correctas são esquece e comece.



Acho que se escreve boa fé e má fé e não boa-fé e má-fé, como sugere o dicionário. Estou certo?
A tradição lexicográfica portuguesa consagrou o uso do hífen em boa-fé e em má-fé e são estas grafias que aparecem registadas nas principais obras de referência da língua portuguesa contemporânea, nomeadamente em vocabulários, como o Vocabulário da Língua Portuguesa, de Rebelo Gonçalves (Coimbra: Coimbra Ed., 1966) ou o Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Lisboa: Ed. Âncora, 2001), e em dicionários, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Verbo, 2001), o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Lisboa: Círculo de Leitores, 2002) ou o Novo Dicionário Aurélio de Língua Portuguesa (Curitiba: Positivo, 2004).

O uso do hífen é problemático para os utilizadores da língua, pois obedece a regras pouco evidentes e algo contraditórias e é por vezes ditado por uma tradição lexicográfica que os falantes desconhecem. No caso específico de boa-fé, esta dificuldade torna-se evidente numa pesquisa em corpora ou em motores de busca da internet, podendo observar-se a ocorrência da palavra hifenizada a par da locução boa fé, inclusivamente em textos jurídicos. Estes casos, não estando previstos nas bases do Acordo Ortográfico que regulam o uso do hífen, regem-se geralmente pela tradição lexicográfica, motivo pelo qual é aconselhável optar pela grafia boa-fé, atestada na maioria das obras de referência, em detrimento da locução boa fé.

pub

Palavra do dia

al·pe·chim al·pe·chim


(espanhol alpechín)
nome masculino

1. Sumo negro e amargo das azeitonas.

2. Resíduo do fabrico do azeite. = ÁGUA-RUÇA


SinónimoSinônimo Geral: ALPERCHIM

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/criou [consultado em 28-11-2021]