Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

condensação

condensaçãocondensação | n. f.
derivação fem. sing. de condensarcondensar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

con·den·sa·ção con·den·sa·ção


nome feminino

Acto ou efeito de condensar.


con·den·sar con·den·sar

- ConjugarConjugar

(latim condenso, -are)
verbo transitivo e pronominal

1. Tornar ou ficar mais denso ou mais compacto.

2. Tornar ou ficar líquido (vapor ou gás). = LIQUEFAZER

3. [Figurado]   [Figurado]  Reduzir ou reduzir-se ao essencial; tornar ou ficar sintético ou mais resumido. = RESUMIR, SINTETIZAR, SUMARIAR

4. [Figurado]   [Figurado]  Juntar, reunir.

5. [Figurado]   [Figurado]  Apertar ou apertar-se num espaço.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "condensação" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

ideia, afirma em seu site que seu propósito é “aprimorar a condensação da água para levá-la até as áreas mais secas do planeta”..

Em Tupiniquim

partir deste vapor de água que se formou, por condensação , grande parte da hidrosfera..

Em sorumb

partir deste vapor de água que se formou, por condensação , grande parte da hidrosfera..

Em De Rerum Natura

...três etapas e gera água potável a partir de urina reciclada, águas residuais e condensação por meio de destilação, filtrações, oxidação catalítica e tratamento com iodo..

Em VISEU, terra de Viriato.

...e a imaginação mais vaga, enquanto que o que eu ali via era a condensação viva de todos os tempos..

Em O Dragão de São Jorge
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a escrita correcta para o planeta? Urano ou Úrano?
Os vocabulários tidos como as maiores referências para o português europeu (Vocabulário da Língua Portuguesa, de Rebelo Gonçalves e Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado) registam apenas a forma Úrano, referindo Rebelo Gonçalves que a forma Urano, apesar de corrente, “é inexacta”. Esta indicação deve-se à forma latina Uranus, em que o U da antepenúltima sílaba é uma vogal longa (sendo o -a- da penúltima sílaba uma vogal breve), o que corresponde geralmente a uma palavra esdrúxula em português.

No entanto, parece ter havido uma regularização da acentuação da palavra (em português, o padrão mais regular de acentuação é o das palavras graves, isto é, acentuadas na penúltima sílaba), e é de facto muito corrente a forma Urano, inclusivamente com registo em dicionários. Por este motivo, e apesar de a forma Úrano ser a preferida pelos autores mais puristas, pode hoje considerar-se aceitável também a forma Urano.




Agradecia que me dessem a vossa opinião quanto à classificação sintáctica da oração e não sei quem é que se encontra nos seguintes versos pessoanos: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe".
De acordo com o espólio do heterónimo pessoano Alberto Caeiro, disponibilizado on-line pela Biblioteca Nacional, o verso do poema "É noite" é ligeiramente diferente: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, // Atrai-me só por essa luz visitada de longe". Na expressão e que não sei quem é estão contidas duas orações: a primeira é uma oração subordinante (e que não sei) cujo verbo (saber) necessita de um complemento directo obrigatório que corresponde à segunda oração (quem é), que pode ser classificada como subordinada substantiva completiva.

A frase é complexa e a oração subordinante (e que não sei) deste pequeno excerto da frase, no âmbito dos versos transcritos (É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe), é também uma oração subordinada relativa restritiva coordenada a outra da mesma natureza.

Para clarificar a divisão de orações, procedemos em seguida à classificação de todas as orações contidas nos dois versos de Alberto Caeiro e respectivas funções sintácticas (é de sublinhar que uma oração subordinada pode conter várias orações e dentro dela pode haver uma oração subordinante em relação às que dela dependem):
1. [É curioso] oração subordinante.
2. [que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinada completiva com função de sujeito (este sujeito frásico não é muito evidente, mas pode ser testado com a concordância verbal; ex.: isso é curioso; essas coisas são curiosas).

2.1 [que toda a vida do indivíduo atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinante (relativamente às orações que dela dependem).
2.1.1 [que ali mora] oração subordinada relativa restritiva (isto é, fornece informação que restringe o antecedente indivíduo).
2.1.2 [e que não sei quem é] oração subordinada relativa explicativa (isto é, fornece informação adicional sobre o antecedente indivíduo) coordenada à oração relativa restritiva.
2.1.2.1 [e que não sei] oração subordinante (relativamente à oração que dela depende).
2.1.2.2 [quem é] oração subordinada completiva com função de complemento directo.

pub

Palavra do dia

mas·to·gra·fi·a mas·to·gra·fi·a


(masto- + -grafia)
nome feminino

[Medicina]   [Medicina]  Radiografia da glândula mamária. = MAMOGRAFIA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/condensa%C3%A7%C3%A3o [consultado em 15-10-2021]