PT
BR
Pesquisar
Definições



comida

A forma comidapode ser [feminino singular de comidocomido], [feminino singular particípio passado de comercomer] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
comidacomida
( co·mi·da

co·mi·da

)


nome feminino

1. O que se come ou serve para comer.

2. Acto de comer.

3. Culinária, gastronomia (ex.: a comida francesa é mundialmente famosa).

4. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Pessoa com quem se tem relações sexuais.

etimologiaOrigem etimológica:feminino de comido.
comercomer
|ê| |ê|
( co·mer

co·mer

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Mastigar e engolir.

2. Dissipar.

3. Lograr.

4. Defraudar, enganar.

5. Gastar.


verbo transitivo e pronominal

6. [Informal] [Informal] Ter relações sexuais com. = PAPAR


verbo intransitivo

7. Tomar alimento.

8. Ter comichão.

9. Causar comichão.

10. Tirar proveito.

11. Roubar.


verbo pronominal

12. Amofinar-se, consumir-se.


nome masculino

13. Acto ou efeito de ingerir alimentos (ex.: a dentição pode perturbar o comer).

14. Aquilo que se come ou que pode ser comido (ex.: o comer está na mesa). = ALIMENTO, COMIDA

15. Refeição (ex.: a que horas é o comer?).


comer e calar

[Informal] [Informal] Aceitar, sem lamentos ou protestos (ex.: não é mulher para comer e calar). = RESIGNAR-SE

etimologiaOrigem etimológica:latim comedo, -ere.
Ver também resposta à dúvida: verbo comer usado como substantivo.
comidocomido
( co·mi·do

co·mi·do

)


adjectivoadjetivo

1. Que foi ingerido; que se comeu.

2. Gasto, carcomido, corroído (ex.: a capa do livro está comida).

3. Que se gastou ou dissipou (ex.: fortuna comida pelos herdeiros). = GASTO

4. Que se suprimiu ou eliminou.

5. Que se saltou ou omitiu.

6. [Jogos] [Jogos] Que se ganhou ou conquistou (ex.: contou as peças comidas).

7. [Informal, Figurado] [Informal, Figurado] Que foi enganado; que caiu num logro.

8. [Informal] [Informal] Que foi possuído sexualmente.

etimologiaOrigem etimológica:particípio de comer.

Auxiliares de tradução

Traduzir "comida" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Numa pesquisa no Google, encontrei várias vezes a expressão "há espera", por exemplo: "torneios há espera de concorrentes". É correcto dizer "há espera"? Não será "à espera"?
No contexto que refere, deverá ser utilizada a locução prepositiva à espera de, que significa “aguardando por” (torneios à espera de concorrentes) e que poderá encontrar registada, por exemplo, no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, que também regista a locução adverbial à espera (Ex.: os doentes já estão à espera há muito tempo). Esta locução tem estrutura semelhante a muitas outras locuções prepositivas em português (contracção da preposição a com o artigo definido a seguida de substantivo feminino e da preposição de), como, por exemplo, à beira de, à conta de, à disposição de, à frente de. A expressão há espera poderá apenas ser usada em contextos onde se pretenda dizer que "existe uma espera" (ex.: nos acessos à ponte há espera prolongada).



Qual a função sintáctica de «a médico, confessor e advogado» na frase «a médico, confessor e advogado nunca enganes»: A. complemento indirecto B. complemento directo C. sujeito
A frase que refere é em tudo semelhante à que é apresentada na Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra (Lisboa: Ed. João Sá da Costa, 1998, 14.ª ed., p. 143), como exemplo de uma frase com objecto (ou complemento) directo preposicionado. O constituinte sintáctico a médico, confessor e advogado desempenha aqui a função de complemento directo, ainda que preposicionado, pois, se por regra o complemento directo não é introduzido por preposição, neste caso, e segundo a mesma gramática, “o emprego da preposição não obrigatória transmite à relação um vigor novo, pois o reforço que advém do conteúdo significativo da preposição é sempre um elemento intensificador e clarificador da relação verbo-objecto” (p. 555). Os complementos directos preposicionados contêm normalmente a preposição a e são estruturas algo raras na língua actual; têm como principal função a desambiguação dos constituintes, especialmente quando há inversão da ordem canónica ou elisão do verbo (ex.: ao médico enganou o rapaz e ao confessor a rapariga), ou a ênfase de um constituinte, normalmente em estruturas ligadas a verbos como adorar, amar, bendizer, estimar (ex.: os crentes amam a Deus; estima muito aos teus pais).