Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

chute

chutechute | n. m.
1ª pess. sing. pres. conj. de chutarchutar
3ª pess. sing. imp. de chutarchutar
3ª pess. sing. pres. conj. de chutarchutar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

chu·te chu·te


(inglês shoot, arremesso, lançamento)
nome masculino

1. [Futebol]   [Futebol]  Pontapé forte na bola (ex.: chute de fora da área). = CHUTO

2. [Por extensão]   [Por extensão]  Pancada dada com o pé (ex.: foi agredido com um chute nas costas). = CHUTO

3. [Informal, Figurado]   [Informal, Figurado]  Recusa, rejeição (ex.: levou um chute do namorado). = CHUTO

4. [Brasil]   [Brasil]   [Desporto]   [Esporte]  Lançamento da bola ao cesto, no basquetebol. = ARREMESSO

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Aquilo que se diz ou faz, na tentativa de acertar, mas sem ter certeza.

6. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Mentira, lorota, trapaça.


chute de bicicleta
[Brasil]   [Brasil]   [Futebol]   [Futebol]  Movimento feito pelo jogador que se impulsiona no ar com as pernas para cima e para a frente, tronco inclinado para trás, rodando depois as pernas e esticando uma delas para chutar a bola no ar por cima da sua cabeça. (Equivalente no português de Portugal: pontapé de bicicleta.) = BICICLETA


chu·tar chu·tar

- ConjugarConjugar

verbo transitivo e intransitivo

1. [Futebol]   [Futebol]  Dar um pontapé na bola.

2. [Por extensão]   [Por extensão]  Dar pontapés. = PONTAPEAR

verbo transitivo

3. [Informal]   [Informal]  Dizer algo na tentativa de acertar, mas sem ter certeza.

verbo transitivo e pronominal

4. [Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]  Injectar(-se) com droga. = DROGAR

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "chute" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...aos 23’, quando Caci cruzou, Palmieri rebateu mal e Prcic apareceu com um bom chute de fora da área que foi desviado pelo defensor..

Em www.brasilyonnais.com.br

...teve um pênalti marcado após a bola bater no braço de Leandro Vilela, em chute de Lucão..

Em Caderno B

O centroavante do OL conseguiu aparecer na área e mandou um chute potente para Desmas defender..

Em www.brasilyonnais.com.br

O jovem atacante recebeu na entrada da área e disparou um chute forte que saiu por cima do gol..

Em Caderno B

O camisa 10 teve mais uma chance minutos depois, desta vez em um chute de fora da área que Gabriel Chapecó fez a defesa..

Em Caderno B
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Estou estudando verbos, mas aprendi que existem 3 modos verbais; aqui neste site, vi que tem mais que três. Ainda não conhecia o que está aqui neste site. Por favor, gostaria que me explicasse. O que eu conheço são os modos no indicativo, subjuntivo e o imperativo.
Tal como é afirmado na Gramática Priberam, no capítulo sobre os Modos dos Verbos, são geralmente considerados pelos gramáticos três modos verbais: o indicativo (ex.: ele foi a São Paulo), o conjuntivo ou subjuntivo (ex.: talvez haja boas notícias) e o imperativo (ex.: come a sopa!). Há, no entanto, autores que referem que o condicional ou futuro do pretérito, o futuro do indicativo e o infinitivo podem também eles apresentar valores modais em certos contextos.

A divisão patente na conjugação dos verbos do Dicionário Priberam e no conjugador do FLiP apresenta uma categorização mista entre modos, tempos e formas nominais do verbo. Iremos, no entanto, repensar esta categorização para que os nossos usuários não sejam induzidos em erro.




Por Portaria foram criados os seguintes postos na Polícia de Segurança Pública: Agente; Agente Principal; Chefe; Subcomissário; Comissário; Subintendente; Intendente; Superintendente e Superintendente-Chefe. Atendendo ao facto de a PSP ter mulheres no seu quadro, solicito, se possível, que me informem como devo tratar uma senhora. Ex. 1 - Senhora Subcomissário Anabela ou Senhora Comissário Zélia; ex. 2 - Senhora Subcomissária Anabela ou Senhora Comissária Zélia. Julgo que o ex. 1 é que está correcto uma vez que não foi criado o posto de Subcomissária nem de Comissária.
Do ponto de vista exclusivamente gramatical, deveria haver flexão em género nos substantivos flexionáveis, como subcomissário/a (se se tratar de um substantivo de dois géneros, como agente, onde não há morfema para marcar o feminino, este problema não se coloca). No entanto, as questões linguísticas não se limitam a simples flexões e incluem variáveis de ordem social, cultural ou mesmo política, o que origina a impossibilidade de respostas peremptórias neste campo.

Nas Forças Armadas, por exemplo, onde o recrutamento feminino passou a ser feito de forma regular apenas nos anos 90 do século passado, as designações das pessoas que ocupam postos ou graduações são maioritariamente substantivos de dois géneros, em que a mesma forma serve para designar o militar de sexo masculino (ex.: o cabo Silva) e a militar de sexo feminino (ex.: a cabo Silva). Este uso pode ser observado, por exemplo, no artigo “As mulheres nas Forças Armadas” da Revista da Armada, pp. 13-16.

No caso específico da hierarquia policial, a maioria dos postos corresponde a substantivos de dois géneros que não colocam problemas relacionados com a flexão em género (ex.: o/a agente, o/a chefe, o/a intendente). Os casos problemáticos são comissário e subcomissário, palavras que admitem flexão em género (ex.: comissário/a) e que até são comummente usadas flexionadas noutros contextos (ex.: comissária europeia). Relativamente a esta questão, importa distinguir os postos policiais dos polícias que ocupam esses postos. Assim, os postos ou graduações criados por portaria correspondem geralmente a um substantivo masculino, pois o masculino é o género não marcado do português, considerado neutro quando não se pretende especificar o género. Um exemplo que pode ser clarificador é o caso do estatuto dos docentes universitários, em que são legalmente referidos cargos como professor catedrático ou professor associado, sem que nos falantes haja alguma dúvida em utilizar as formas femininas para referir as professoras catedráticas ou associadas que ocupam esses cargos.

Voltando às forças policiais, podendo a pessoa que ocupa um posto ser do sexo feminino ou masculino e havendo uma palavra que habitualmente flexiona em género (como é o caso de comissário/a), a flexão feminina deverá ser utilizada para designar a mulher polícia que ocupa esse posto. Acresce a este facto o uso comum que já têm os femininos como comissária e subcomissária, inclusive na comunicação social, provavelmente por ser o recrutamento de mulheres mais recuado na polícia do que nas Forças Armadas. O comportamento linguístico destes substantivos parece contrastar com as designações femininas relativas às Forças Armadas, onde as formas com flexão no feminino parecem ser residuais (ex.: soldada) e por vezes depreciativas (ex.: generala).

Pelos motivos acima apontados, as formas de tratamento Senhora Subcomissária Anabela ou Senhora Comissária Zélia são aquelas que melhor respeitam as regras de flexão da língua portuguesa e não parecem violar usos consagrados.

pub

Palavra do dia

war·fa·ri·na war·fa·ri·na


(inglês warfarin, de W[isconsin] A[lumni] R[esearch] F[oundation], sociónimo + [cum]arin, cumarina)
nome feminino

[Química]   [Química]  Substância (C19H16O4) usada como anticoagulante na prevenção de tromboses e na composição de raticidas. = VARFARINA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/chute [consultado em 24-09-2021]