Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
catástrofecatástrofe | s. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ca·tás·tro·fe ca·tás·tro·fe
(grego katastrofé, -és, destruição, ruína, submissão, dominação)
nome feminino

1. Grande desgraça que atinge muitas pessoas. = CALAMIDADE

2. Desfecho de peça dramática.

3. Situação negativa ou desastrosa. = DESASTRE

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "catástrofe" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




Venho pedir ajuda relativamente a um pequeno conjunto de prefixos. Que relação existe entre supra- e super-? Supra- é plural de super-? E havendo infra- pode-se supor a existência de infer-? E quanto a hiper-, de origem grega? Existe também um prefixo que identifique algo ainda mais abaixo de infra-?
Super- e supra- são elementos de formação prefixais com étimos distintos, apesar de ambos exprimirem as noções de “superioridade” (ex.: super-homem, supranormal), “excesso” (ex.: superaquecer, supranumerário) ou “intensidade” (ex.: superfino, supracondutor). Supra- indica também a noção de “posição num plano superior” (ex.: supramandibular), opondo-se a infra-, que se apõe a outras palavras para exprimir a noção de “localização em posição inferior” (ex.: inframandibular).

O prefixo super- é seguido de hífen apenas quando o segundo elemento começa por h ou r (ex.: super-homem, super-requintado). Segundo o Acordo Ortográfico de 1945, o prefixo supra- é seguido de hífen apenas quando o elemento que se lhe segue começa por vogal (ex.: supra-axilar, supra-excitar), h (ex.: supra-hepático), r (ex.: supra-renal) ou s (ex.: supra-sensível). Segundo o Acordo Ortográfico de 1990, o prefixo supra- deve aglutinar-se sempre com o elemento seguinte (ex.: supraexcitar, supranumerário), excepto se este começar por a ou h (ex.: supra-axilar, supra-hepático), obrigando à duplicação do r e do s quando se segue de palavras começadas por essas letras (ex.: suprarrenal, suprassensível).

O elemento de composição infer- existe realmente, mas é usado com o mesmo sentido de infra-, apesar de ser de utilização menos comum (ex.: inferaxilar).

Hiper- é seguido de hífen quando o segundo elemento começa por h ou r (ex.: hiper-humano, hiper-rugoso) e tem como oposto o elemento compositivo hipo-, que exprime a ideia de “posição em local inferior” (ex.: hipocentro) e de número reduzido (ex.: hipocalórico).

Os elementos de composição prefixais não possuem flexões de género e número. Indicam apenas determinadas noções que se poderão opor às noções expressas por outros elementos.

pub

Palavra do dia

men·su·ra·lis·ta men·su·ra·lis·ta
(mensural + -ista)
nome de dois géneros

[Música]   [Música]  Compositor musical, na Idade Média.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/cat%C3%A1strofe [consultado em 15-01-2021]