PT
BR
Pesquisar
Definições



abem

A forma abempode ser [terceira pessoa plural do imperativo de abarabar], [terceira pessoa plural do presente do conjuntivo de abarabar], [adjectivo de dois géneros e de dois númerosadjetivo de dois géneros e de dois números], [advérbio], [interjeição], [nome masculino plural] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
bembem


nome masculino

1. O que é bom, lícito e recomendável (ex.: fazer o bem).MAL

2. Conjunto de benefícios ou de coisas que provocam consequências positivas (ex.: percebo que isto será para o meu bem). = PROVEITO, VANTAGEMDANO, DESVANTAGEM, MAL, PREJUÍZO

3. Situação agradável do corpo e do espírito; situação de conforto ou de satisfação (ex.: foi um bem para nós; estes dias de descanso fizeram-lhe bem). = BEM-ESTARMAL-ESTAR, SOFRIMENTO

4. O que abona; conjunto de qualidades positivas (ex.: só consigo dizer bem dessa empresa).MAL

5. Pessoa querida ou amada (ex.: você já vai sair, bem?). = AMOR, QUERIDO


advérbio

6. Como é devido; como é conveniente ou apropriado (ex.: se trabalharmos bem, acabamos amanhã; a questão foi bem resolvida). = DEVIDAMENTEINCONVENIENTEMENTE, INDEVIDAMENTE, MAL

7. De modo agradável ou harmonioso (ex.: cheira bem; o anfitrião trata muito bem os visitantes).MAL

8. De maneira que satisfaz (ex.: a entrevista correu bem; estou bem instalada).MAL

9. Com saúde (ex.: esteve no hospital, mas agora já está bem).MAL

10. De modo intenso ou em grau elevado (ex.: choveu bem esta noite; ele é bem falador). = BASTANTE, EXTREMAMENTE, MUITOPOUCO

11. Com precisão ou certeza (ex.: sei bem qual é o problema). = EXACTAMENTE, PRECISAMENTE


adjectivo de dois géneros e de dois númerosadjetivo de dois géneros e de dois números

12. [Informal] [Informal] Que é relativo a ou considerado como pertencente a uma classe social elevada.


interjeição

13. Usa-se para exprimir apoio ou concordância.

14. Expressão usada quando se quer encerrar um assunto ou introduzir um novo (ex.: bem, vamos embora). = BOM

bens


nome masculino plural

15. Conjunto de haveres ou propriedades.


a bem

De livre vontade e sem litígio (ex.: resolvemos tudo a bem).À FORÇA, A MAL

bem como

Usa-se para indicar que algo se faz ou acontece da mesma forma que ou à semelhança de; e também (ex.: explicou detalhadamente o evento, bem como as funções de cada interveniente). = ASSIM COMO

bem comum

Direito ou benefício colectivo ou quem contribui para o bem-estar colectivo.

bem de capital

[Economia] [Economia]  Bem que serve para produzir outros bens, em especial bens de consumo (ex.: uma máquina industrial é um bem de capital). [Mais usado no plural.]

bem de consumo

[Economia] [Economia]  Bem que se destina à satisfação de uma necessidade imediata (ex.: um automóvel é um bem de consumo). [Mais usado no plural.]

bem de produção

[Economia] [Economia]  Bem que é usado na produção de outros bens (ex.: as matérias-primas e os equipamentos para as transformar são bens de produção). [Mais usado no plural.]

bens adquiridos

[Direito] [Direito]  Os granjeados durante o matrimónio.

bens de raiz

[Direito] [Direito]  Prédios rústicos ou urbanos.

de bem

Que tem boa índole; que é correcto, honesto, honrado (ex.: pessoa de bem).

mandar bem

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Fazer algo com excelência, qualidade ou sucesso. = ARRASAR

se bem que

Usa-se para introduzir uma frase subordinada e indica oposição a uma outra ideia exposta, mas que não é impeditiva (ex.: a intenção é boa, se bem que não resolve o problema; se bem que contenha riscos, a proposta é interessante).

trocar de bem

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Fazer as pazes.

etimologiaOrigem etimológica:latim bene.
Confrontar: nem.
Colectivo:Coletivo:Coletivo:espólio, fazenda, património, pecúlio.
Ver também resposta à dúvida: comparativo de superioridade: melhor e mais bem.
abarabar
( a·bar

a·bar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

Pôr abas em; ajeitar a aba de (o chapéu).

etimologiaOrigem etimológica:aba + -ar.

Anagramas

Esta palavra no dicionário



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber como se emprega ...asse ou ...-se.
A questão que nos coloca parece dizer respeito à diferença entre 1) as formas da primeira e terceira pessoas do singular do pretérito imperfeito do conjuntivo (ou subjuntivo, no Brasil) de verbos de tema em -a- (ex.: lavar - Se eu lavasse o casaco com água, ele estragava-se) e em -e- (ex.: comer - Esperava que ele comesse a sopa toda; Não queria que ele vendesse a casa) e 2) as formas da terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos mesmos verbos, seguidas do pronome pessoal átono se (ex.: Ele lava-se todos os dias; Come-se bem neste restaurante; Vende-se este carro).

Os exemplos acima indicados (lavasse/lava-se; comesse/come-se e vendesse/vende-se) são formas parónimas, isto é, escrevem-se e pronunciam-se de forma semelhante (mas não igual), tendo, porém, significados diferentes.

Uma estratégia importante para empregar correctamente estas formas diferentes é analisar o contexto em que estão inseridas. Vejamos então os contextos do conjuntivo de 1) e do pronome pessoal de 2):

1) O pretérito imperfeito do conjuntivo é um tempo verbal usado para expor um desejo/pedido num tempo passado ou atemporal (ex.: Esperava que ele comesse a sopa toda; Não queria que ele vendesse a casa) ou uma possibilidade/hipótese no passado ou num momento atemporal (ex.: Se eu gostasse de viajar, já a tinha visitado; Pediu-lhe para não conduzir, caso bebesse). Trata-se sempre, nestes casos, de uma palavra só, pois corresponde apenas a uma forma verbal.
Do ponto de vista da pronúncia, estas formas verbais têm sempre o acento tónico da palavra na penúltima sílaba (ex.: bebesse, comesse, gostasse, vendesse).

2) As formas da terceira pessoa do singular do presente do indicativo seguidas do pronome pessoal átono se podem corresponder a 3 tipos de estruturas diferentes. Trata-se sempre, em qualquer destes três casos, de duas palavras, um verbo no presente do indicativo e um pronome pessoal.
Do ponto de vista da pronúncia, e também nestes três casos, estas formas verbais têm sempre o acento tónico da palavra na penúltima sílaba (ex.: bebe, come, gosta, vende), mas como há um pronome pessoal átono a seguir, é como se a construção verbo+pronome fosse uma palavra só, acentuada sempre na antepenúltima sílaba (ex.: bebe-se, come-se, gosta-se, vende-se).

As três estruturas pronominais diferentes são as seguintes:
2.1) Forma da terceira pessoa do indicativo seguida de um pronome pessoal átono reflexo se. Neste caso, o sujeito faz uma acção sobre si próprio (ex.: Ele lava-se todos os dias.).
Para nunca confundir esta construção com formas do pretérito imperfeito do conjuntivo, poderá, no mesmo contexto e com o mesmo sentido, substituir o sujeito, a forma verbal e o pronome se por outra pessoa gramatical (ex. Ele lava-se --> Tu lavas-te, logo trata-se de verbo+pronome pessoal reflexo).

2.2) Forma da terceira pessoa do indicativo seguida de um pronome pessoal átono que desempenha a função de sujeito indefinido ou indeterminado, com um valor próximo de a gente ou alguém (ex.: Come-se bem neste restaurante).
Para nunca confundir esta construção com formas do pretérito imperfeito do conjuntivo, poderá, no mesmo contexto e com o mesmo sentido, substituir o pronome se por outro sujeito como a gente ou alguém (ex.: Come-se bem neste restaurante --> A gente come bem neste restaurante, logo trata-se de verbo+pronome pessoal sujeito indefinido).

2.3) Forma da terceira pessoa do indicativo seguida de um pronome pessoal átono apassivante se, com um valor próximo de uma frase passiva (ex.: Vende-se este carro).
Para nunca confundir esta construção com formas do pretérito imperfeito do conjuntivo, poderá, no mesmo contexto e com o mesmo sentido, substituir o pronome se por uma construção passiva (ex.: Vende-se este carro --> Este carro é vendido, logo trata-se de verbo+pronome pessoal apassivante).




A expressão "até ao arrebatamento" está correta?
Antes de mais, convém clarificar, ainda que resumidamente, o uso de até.

Como preposição, a palavra até é usada para indicar um limite temporal (ex.: Eu vou embora, até amanhã; Esperem pela resposta até meados de Janeiro; Dormi até tu chegares), um limite espacial (ex.: Viajou de comboio até Paris) ou um limite quantitativo (ex.: O desconto é válido em todos os enlatados até 800 g).

Segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra (14.ª ed., Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1998, p. 561), em Portugal usa-se geralmente a preposição até acompanhada da contracção da preposição a com o artigo definido o/a(s) (ex: Fui até ao parque; Fomos até à igreja) enquanto no Brasil se usa maioritariamente a preposição até sem a contracção (ex.: Fui até o parque; Fomos até a igreja). Em termos de correcção, como refere o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (edição brasileira da Editora Objetiva, 2001; edição portuguesa do Círculo de Leitores, 2002), é indiferente no Brasil associar a preposição até a outra preposição ou não. Por outras palavras, é tão correcto escrever fomos até à igreja como fomos até a igreja, sendo a última a forma mais usual no Brasil.

Como advérbio, a palavra até é usada para indicar inclusão ou ênfase, sendo sinónima de inclusivamente, também ou mesmo (ex.: Todos ajudaram na arrumação da cozinha, até o avô; O empresário fez várias alterações e admite até a contratação de mais funcionários). Dependendo da regência do verbo em causa, o advérbio até pode surgir associado a uma contracção (ex.: Eles foram a todo o lado: à Europa, à Ásia, até à Austrália!).

Considerando os usos acima descritos, a expressão até ao arrebatamento está correcta, tanto em Portugal como no Brasil, se a palavra até for usada como preposição (ex.: Foi uma festa intensa até ao arrebatamento final). Se, no entanto, a palavra até for usada como advérbio, a expressão até ao arrebatamento está incorrecta, como indica o asterisco (ex.: *Todas as emoções foram banidas, até ao arrebatamento religioso).