Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

abafar

abafarabafar | v. tr. | v. intr. | v. tr. e intr. | v. pron.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

a·ba·far a·ba·far

- ConjugarConjugar

(a- + bafo + -ar)
verbo transitivo

1. Impedir o arrefecimento de.

2. Sufocar.

3. Fazer diminuir a intensidade de.

4. Fazer com que não se ouça ou não se divulgue.

5. Impedir o desenvolvimento de.

6. Sonegar.

7. Matar por asfixia.

8. Impedir a combustão de. = APAGAR

9. [Por extensão]   [Por extensão]  Levar preso, meter na cadeia.

verbo intransitivo

10. Não poder respirar.

11. [Figurado]   [Figurado]  Ficar aniquilado.

verbo transitivo e intransitivo

12. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Ter sucesso, ser incrível ou sobressair em algo. = ARRASAR, LACRARFRACASSAR

verbo pronominal

13. Enroupar-se, agasalhar-se contra o frio.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "abafar" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

"É preciso abafar isto" - é a expressão popular portuguesa para a política de ocultação e encobrimento,...

Em portugal contempor

Mudam apenas os estilos e a maneira de se abafar a voz de alguém que tenta falar de Deus nos

Em Blog da Sagrada Família

...uma voz interessante, com um registo médio seguro e notável, mas por vezes deixava-se abafar quando a orquestra tocava mais forte..

Em Fanáticos da Ópera

...Catarinense Relatos de maus-tratos em creche de SC vão de chantagem a cobertor para abafar choro Valor Econômico PGR vai ouvir ex-presidentes da Petrobras e do BB sobre suposta...

Em Rede Brasil de Noticias - O Point da Informação

: investigações que não investigam, governos que se sucedem sem apurar nada, operações para abafar o que deveria ser esclarecido, figuras que operam no mundo dos serviços de inteligência...

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a correta grafia: sub-bosque ou subosque?
O prefixo sub- deve ser seguido de hífen quando o elemento seguinte se inicia por b, uma vez que se trata da mesma consoante por que termina o prefixo, como prevê o Acordo Ortográfico de 1945 (para o português de Portugal). O Formulário Ortográfico de 1943 (para o português do Brasil) não tem este contexto previsto no uso do hífen, mas o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) da Academia Brasileira de Letras regista esta forma e outras com a sequência sub-b...; a par disto, é de referir que também as formas subosque e sobosque estão registadas no VOLP, depreendendo-se a sua origem nas formas prefixais su- e so-, respectivamente, equivalentes a sub- e sob-, mas de contexto ortográfico diferente (daí o facto de não serem formas hifenizadas).

Este contexto ortográfico não sofre alteração com a aplicação do novo Acordo Ortográfico de 1990, pois, apesar de o texto do Acordo ser omisso neste ponto (cf. Base XVI), a "Nota Explicativa" anexa ao referido texto prevê o uso do hífen: "6.3 - O hífen nas formas derivadas (base XVI) [...] a) Emprega-se o hífen quando o segundo elemento da formação começa por h ou pela mesma vogal ou consoante com que termina o prefixo ou pseudoprefixo (por exemplo: anti-higiénico, contra-almirante, hiper-resistente) [...]" (sublinhado nosso).

Por este motivo, pode dizer-se que a forma sub-bosque está correcta, bem como as formas sobosque ou subosque, apesar de estas duas últimas preverem o uso de prefixos equivalentes a sob- ou sub-, que serão menos consensuais (o prefixo su- com este sentido não se encontra registado em nenhuma obra lexicográfica por nós consultada).




Tenho ouvido em alguns serviços informativos da TV a utilização incorrecta (acho eu) de alguns verbos. Qual a frase correcta: "O professor mandou os alunos fazerem uma cópia" ou "O professor mandou os alunos fazer uma cópia"? Obrigada.
A dúvida diz respeito ao uso do infinitivo pessoal ou flexionado (fazerem) ou do infinitivo impessoal (fazer).

Quando o sujeito da oração principal (O professor) é diferente do sujeito da oração infinitiva (os alunos), a tendência é usar o infinitivo pessoal, pelo que a frase mais consensual será O professor mandou os alunos fazerem uma cópia. Note-se que não se fala marcadamente de regras relativamente a este tópico porque se trata de uma questão mais do campo da estilística do que do campo da gramática, tal como afirmam Celso Cunha e Lindley Cintra na sua Nova Gramática do Português Contemporâneo (14.ª ed., Edições Sá da Costa, Lisboa, 1998, p. 482):

«O emprego das formas flexionada e não flexionada do infinitivo é uma das questões mais controvertidas da sintaxe portuguesa. Numerosas têm sido as regras propostas pelos gramáticos para orientar com precisão o uso selectivo das duas formas. Quase todas, porém, submetidas a um exame mais acurado, revelaram-se insuficientes ou irreais. Em verdade, os escritores das diversas fases da língua portuguesa nunca se pautaram, no caso, por exclusivas razões de ordem gramatical, mas viram-se sempre, no acto da escolha, influenciáveis por ponderáveis motivos de ordem estilística, tais como o ritmo da frase, a ênfase do enunciado, a clareza da expressão. Por tudo isso, parece-nos mais acertado falar não de regras, mas de tendências que se observam no emprego de uma e de outra forma do infinitivo.»

Sobre este assunto, pode ainda consultar a resposta à dúvida linguística infinitivo flexionado e pretérito mais-que-perfeito

pub

Palavra do dia

qui·ro·po·dis·ta qui·ro·po·dis·ta


(quiropodia + -ista)
nome de dois géneros

Especialista em quiropodia ou no tratamento das doenças e dos problemas dos pés.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/abafar [consultado em 17-08-2022]