PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

estatístico

amodal | adj. 2 g.

Que apresenta uma curva de frequência que não tem nenhuma moda (ex.: amostra amodal; série amodal)....


Relativo a demografia ou à estatística da população (ex.: crescimento demográfico)....


modal | adj. 2 g.

Relativo a modo ou a modalidade....


Que tem variância desigual (ex.: distribuição com estrutura heteroscedástica)....


Que tem variância igual (ex.: relações homoscedásticas)....


ergódico | adj.

Que permite representar ou determinar de forma estatística o comportamento de um todo dinâmico, baseando-se em cada sequência ou amostra e na probabilidade de recorrência ou é relativo a esse processo (ex.: hipótese ergódica, princípio ergódico, teoria ergódica)....


Cuja curva representativa de uma distribuição estatística é menos achatada do que a curva de Gauss....


Relativo à geoestatística (ex.: estudo geoestatístico de reservatórios de petróleo; modelo geoestatístico)....


cedástico | adj.

Relativo a variância (ex.: curva cedástica; modelo cedástico)....


Que satisfaz testes de aleatoriedade estatística, mas é resultado de um procedimento matemático definido (ex.: números pseudo-aleatórios; sequências pseudo-aleatórias)....


multimodal | adj. 2 g.

Que apresenta vários aspectos ou vários modos (ex.: terminal multimodal de transportes)....


unimodal | adj. 2 g.

Que apresenta um único aspecto ou modo (ex.: transporte unimodal)....


monomodal | adj. 2 g.

Que apresenta um único aspecto ou modo....


demografia | n. f.

Estatística da população....


dispersão | n. f.

Acto ou efeito de dispersar....



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber o porque se usa tanto apartir de ou concerteza sendo que o correto é a partir de e com certeza ?
Este fenómeno acontece frequentemente com locuções muito usuais em que os utilizadores da língua têm dificuldades em identificar as fronteiras das palavras, o que tem como consequência erros ortográficos como apartir de (em vez de a partir de), concerteza (em vez de com certeza) ou derrepente (em vez de de repente).



Quando posso utilizar o apóstrofo na língua portuguesa? Posso utilizá-lo como na língua italiana?
O uso do apóstrofo está definido nos textos legais que regulam a ortografia portuguesa, nomeadamente nas bases XXXIII a XXXVIII do Acordo Ortográfico de 1945 ou na Base XVIII do Acordo Ortográfico de 1990. Refira-se que o novo acordo ortográfico não altera nada no uso do apóstrofo.

Segundo esses textos legais, o apóstrofo usa-se nos seguintes casos:
a) numa contracção em que um elemento pertence a um conjunto vocabular distinto (ex.: n'Os Lusíadas) ou em que se quer dar destaque com maiúscula a um elemento (ex.: acredito n'Ele);
b) na ligação das palavras santo ou santa (ex.: Sant'Ana) a alguns antropónimos e na ligação de alguns antropónimos (ex.: Nun'Álvares);
c) na elisão da vogal -e da preposição de em algumas palavras compostas, na maioria das vezes com a palavra água (ex.: copo-d'água, lobo-d'alsácia, mãe-d'água, pau-d'arco, queda-d'água, vinha-d'alhos).


Ver todas