Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "eremita" nas definições

monge | n. m.
    Religioso de um mosteiro....

anacoreta | n. m.
    Indivíduo que, por motivos religiosos, vive na solidão, entregue à vida contemplativa....

ermitão | n. m.
    O mesmo que eremita....

eremita | n. 2 g.
    Pessoa que vive no ermo com intuitos contemplativos ou religiosos....

ermita | n. 2 g.
    O mesmo que eremita....

almorávida | adj. 2 g. n. 2 g. | n. m. pl.
    Relativo a ou membro dos almorávidas....

hesicasta | adj. 2 g. n. 2 g.
    Que ou quem pratica o hesicasmo ou prática espiritual mística de algumas igrejas cristãs, sobretudo ortodoxas....

almorávide | adj. 2 g. n. 2 g. | n. m. pl.
    O mesmo que almorávida....

eremitério | n. m.
    Casa ou lugar onde habita um eremita....

Dúvidas linguísticas


Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).




Gostava que me informassem, se possível, sobre como se aplica o artigo na palavra personagem. Diz-se o personagem ou a personagem?
A palavra personagem entrou no português vinda do francês, e, regra geral, as palavras que no francês terminam em -age e que são masculinas (ex.: bagage, barrage, camouflage, dérapage, etc.), em português terminam em -agem e são femininas (ex.:bagagem, barragem, camuflagem, derrapagem, etc.). Acontece que o uso da palavra pelos falantes ou a influência do género masculino em francês levaram a que a palavra já esteja registada em obras lexicográficas de referência como palavra feminina ou masculina (por exemplo, no Vocabulário da Língua Portuguesa (1966) de Rebelo Gonçalves, no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (2001), da Academia das Ciências/Verbo, no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (2002), do Círculo de Leitores, ou no Grande Dicionário Língua Portuguesa (2004), da Porto Editora).

O artigo definido deverá então concordar com o substantivo personagem em género e número, consoante a consideremos palavra feminina (O Jasão é a minha personagem favorita) ou masculina (A Medeia é o meu personagem favorito). O que é importante é, no mesmo texto ou documento, ser coerente com a opção tomada e mantê-la.

Palavra do dia

o·ven·çal o·ven·çal


(ovença + -al)
nome masculino

1. [Antigo]   [Antigo]  Pessoa encarregada de uma despensa. = DESPENSEIRO, ECÓNOMO

2. [Antigo]   [Antigo]  Cobrador de rendas.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/eremita [consultado em 19-10-2021]