Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Apostolinos

ApostolinosApostolinos | n. m. pl.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

A·pos·to·li·nos A·pos·to·li·nos


nome masculino plural

Ordem religiosa de Génova suprimida por Sisto V.

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Dúvidas linguísticas


Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).




Qual das frases está correcta? Situação A: 1) Devo-lhes dizer que a comida está saborosa. 2) Devo dizer-lhes que a comida está saborosa. Situação B: 1) Está-se a pensar naquilo (de) que mais gostaram de fazer. 2) Está a pensar-se naquilo (de) que mais gostaram de fazer. Coloca-se (de) ou não na frase? Diz-se Está-se a pensar... ou Está a pensar-se...
A dúvida menciona dois tópicos diferentes.
O primeiro relaciona-se com a colocação dos clíticos, pronomes pessoais de uma só sílaba (como o, a, me, nos, lhe, se, etc.), que não têm acentuação própria e por isso dependem do acento da palavra que está imediatamente antes ou depois (normalmente um verbo). Sobre esta questão aconselhamos a leitura da dúvida posição dos clíticos, para uma introdução mais geral ao tema tratado. Para uma resposta mais específica à dúvida, aconselhamos a leitura de outras dúvidas já respondidas sobre o mesmo assunto: sobre a situação A, pode ser consultada a dúvida posição dos clíticos com o verbo dever como auxiliar e respectiva remissão para posição dos clíticos em locuções verbais, a qual poderá também ser consultada para a dúvida relativa à situação B.

O segundo tópico abrange a estrutura argumental do verbo gostar. Este verbo constrói-se habitualmente com a preposição de (ex.: Gosta de chocolate; Gostaram de ir ao cinema), mas é muito usual esta preposição ser elidida quando o complemento do verbo é uma oração introduzida por uma conjunção completiva (ex.: Ele não gosta [de] que façam barulho; O carro [de] que gostamos é muito caro). Este fenómeno, comum a outros verbos (ex.: Convenceu a mãe [de] que precisava de dinheiro), não é de aceitação generalizada, pelo que, em registos formais ou cuidados, deverá ser evitado (ex. Ele não gosta de que façam barulho; O carro de que gostamos é muito caro).

pub

Palavra do dia

o·ven·çal o·ven·çal


(ovença + -al)
nome masculino

1. [Antigo]   [Antigo]  Pessoa encarregada de uma despensa. = DESPENSEIRO, ECÓNOMO

2. [Antigo]   [Antigo]  Cobrador de rendas.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Apostolinos [consultado em 19-10-2021]