Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
presidentapresidenta | s. f.
fem. sing. de presidentepresidente
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pre·si·den·ta pre·si·den·ta
(alteração de presidente)
substantivo feminino

1. Mulher que preside. = PRESIDENTE

2. [Informal]   [Informal]  Esposa de um presidente.

Masculino: presidente.Masculino: presidente.

Ver também dúvida linguística: presidente / presidenta.

pre·si·den·te pre·si·den·te
(latim praesidens, -entis, particípio presente de praesideo, -ere, comandar, governar)
adjectivo de dois géneros e substantivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros e substantivo de dois géneros

1. Que ou aquele que preside (ex.: sócia presidente; o presidente iniciou o discurso).

substantivo de dois géneros

2. Chefe de uma assembleia, congresso, tribunal, junta, etc.

3. Título oficial do chefe de um Estado republicano.

Nota: como substantivo, admite também um feminino menos usado: presidenta.Nota: como substantivo, admite também um feminino menos usado: presidenta.

Ver também dúvida linguística: presidente / presidenta.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "presidenta" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Qual o plural de "cor de laranja"?
A locução cor de laranja pode ser usada como adjectivo ou como substantivo masculino, como pode verificar no Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa.

Como adjectivo, a locução não flexiona, sendo usada a mesma forma para o masculino e para o feminino, tanto no singular como no plural (ex.: casaco cor de laranja; blusa cor de laranja; sandálias cor de laranja; sapatos cor de laranja).

Como substantivo masculino (ex.: o cor de laranja fica-lhe bem), a locução admite a forma plural cores de laranja (ex.: era grande a diversidade de cores de laranja).

A explicação acima aplica-se também ao substantivo cor-de-rosa (hifenizado com ou sem a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990), que não admite flexão como adjectivo (ex.: fitas cor-de-rosa), mas flexiona como substantivo (ex.: o artigo existe em vários cores-de-rosa diferentes). No entanto, é de referir que os dicionários e vocabulários brasileiros consultados consagram a classificação de substantivo masculino de dois números para cor-de-rosa, o que quer dizer que no Brasil o substantivo é invariável (ex.: o artigo existe em vários cor-de-rosa diferentes). A mesma lógica poderá ser aplicada à locução cor de laranja no português do Brasil.




Surgiu-me uma dúvida na conjugação do verbo escrever. Na frase: Não quero com isto dizer que traduzir um texto seja mais intenso que escreve-lo ou será escrevê-lo?
A dúvida colocada diz respeito à conjugação do verbo escrever (e, em geral, de todos os verbos da segunda conjugação) no infinitivo, seguido de um clítico o. Este clítico, assim como as suas flexões a, os e as, quando segue formas verbais terminadas em -r, -s ou -z, apresenta a forma -lo, -la, -los, -las, com consequente supressão de -r, -s e -z. É por este motivo que se podem encontrar formas como nós escrevemos o livro --> nós escrevemo-lo; vós escrevíeis essa carta --> vós escrevíei-la; tu escreveras os textos --> tu escrevera-los.

Em alguns casos há necessidade de adequar a ortografia para manter o som dos tempos verbais sem o clítico ou para manter a distinção entre tempos verbais. É o caso de escreve-lo e escrevê-lo, que correspondem a duas formas distintas do verbo escrever : escreve-lo corresponde à segunda pessoa do singular do presente do indicativo (ex.: tu escreves o texto muito bem --> tu escreve-lo muito bem), enquanto escrevê-lo corresponde ao infinitivo (ex.: é possível escrever melhor este texto --> é possível escrevê-lo melhor). O acento circunflexo serve para manter a qualidade da vogal do infinitivo (ex.: escrev[ê]r --> escrevê-lo; pôr --> pô-lo).
Desta forma, na frase apresentada, a forma correcta seria escrevê-lo, pois nesse caso trata-se do infinitivo do verbo (Não quero com isto dizer que traduzir um texto seja mais intenso que escrevê-lo = escrever um texto).

O fenómeno descrito acima é geral para todas as conjugações. Na primeira conjugação, em -ar (ex.: adorar), para manter o som vocálico aberto do infinitivo (ex.: ador[á]r) é necessário utilizar o acento agudo (ex.: adorá-lo); se não apresentar acento, trata-se da segunda pessoa do singular do presente do indicativo (ex.: tu adora-lo). Na terceira conjugação, em -ir (ex.: partir), em geral não há necessidade de acentuar graficamente o i antes do clítico (ex.: parti-lo), pois em português o i tónico em final de palavra não necessita de acento (excepto em casos em que é necessário desfazer um hiato; consultar também a dúvida concluir e pronome -lo), mas neste caso não há confusão com a segunda pessoa do singular do presente do indicativo (ex.: tu parte-lo).

pub

Palavra do dia

quan·tos·-que·res quan·tos·-que·res
(plural de quanto + forma de querer)
substantivo masculino de dois números

[Jogos]   [Jogos]  Folha de papel dobrada de modo a formar um objecto que se abre e fecha com a ajuda dos dedos e que se usa como brincadeira. (Equivalente no português do Brasil: come-come.)

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/presidenta [consultado em 16-01-2019]