Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
presentepresente | adj. 2 g. | s. m. | interj.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pre·sen·te pre·sen·te
(latim praesens, -entis)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Que está no lugar onde se fala ou de que se fala.AUSENTE

2. Que está no tempo em que se fala ou de que se fala. = ACTUALFUTURO, PASSADO

3. Que está à vista. = EVIDENTE, MANIFESTO, PATENTE

4. [Gramática]   [Gramática]  Que denota ser a acção feita actualmente ou estar prestes a realizar-se.

5. [Figurado]   [Figurado]  Gravado na mente, no coração.ESQUECIDO

substantivo masculino

6. O tempo actual.FUTURO, PASSADO

7. Pessoa que assiste ou assistiu a algum acontecimento.AUSENTE

8. Coisa oferecida a alguém. = DÁDIVA, MIMO, OFERTA, PRENDA

9. [Gramática]   [Gramática]  O tempo que nos modos dos verbos exprime a ideia de actualidade.

interjeição

10. Expressão usada para responder a uma chamada. = PRONTO


ao presente
Actualmente.

de presente
O mesmo que ao presente.

estar presente
Assistir.

fazer presente
Comunicar, noticiar.

fazer presente de
Oferecer.

ter presente
Ter na memória.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "presente" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Tenho curiosidade em saber, de uma vez por todas, qual a palavra mais correcta a usar: percentagem ou porcentagem?
A palavra percentagem, mais comum em Portugal do que no Brasil, tem origem no inglês percentage, enquanto a forma porcentagem, mais usual no Brasil, é formada por justaposição e sufixação da locução por cento. A palavra inglesa percentage deriva das palavras latinas per e centum, que estão também na origem dos portugueses por e cento. Tem sido discutida por alguns autores a preferência a dar a cada uma destas formas, mas a questão não parece consensual. Assim, o uso de qualquer uma destas palavras é perfeitamente aceitável, tanto mais que ambas se encontram registadas em dicionários de língua portuguesa. Alguns destes marcam a palavra porcentagem como brasileirismo, mas a análise da sua frequência em corpora e em motores de pesquisa da internet em sítios portugueses indica que, apesar de menos usada que no Brasil, a sua utilização por falantes portugueses é, ainda assim, significativa.

No que diz respeito aos derivados de percentagem/porcentagem também parece haver alguma ilogicidade no seu uso. Apesar de a variante porcentagem ser muito frequente no Brasil, o adjectivo percentual tem bastante mais frequência que porcentual (esta forma nem sequer se encontra registada nos mais recentes dicionários editados no Brasil, apesar de poder ser encontrada no Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras). Ora, parece natural que, se se der preferência à forma porcentagem num texto, se dê também preferência à forma correlata porcentual, o mesmo se aplicando a percentagem e percentual. Esta última é também correntemente usada como substantivo masculino, com o mesmo significado que percentagem/porcentagem, daí que possa persistir alguma indeterminação no uso de todas estas variantes.




Na página https://dicionario.priberam.org/fluorescência consta uma divisão silábica, em que se separa o "i" do "a". Ao meu conceito, as letras seriam juntas, um ditongo. Seria uma falha minha de interpretação ou um erro da página?
Alguns encontros de vogais correspondem a ditongos (ex.: au em automóvel, ai em pai, ei em reinado, eu em pneu ou oi em oito), quer do ponto de vista ortográfico, quer do ponto de vista fonético. Estes são normalmente ditongos decrescentes.

Há outros casos de encontros de vogais (ex.: ia em ária ou io em escritório) que podem ser pronunciados como hiato (correspondendo a duas sílabas) ou como ditongo (correspondendo a uma sílaba). É neste caso que se enquadra a palavra fluorescência.

No português de Portugal, o Acordo Ortográfico de 1945, na sua Base XLVIII, permitia separar na translineação os ditongos crescentes.

No português do Brasil, por indicação do Formulário Ortográfico de 1943 (grupo XV, 7ª), não deveria haver translineação em qualquer tipo de ditongo, crescente (ex.: ia, io, ui) e decrescente (ex.: ai, au, oi), mas com a entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990 (Base XX), esta indicação deixou de ser válida, permitindo a divisão de vogais consecutivas que não façam parte de ditongos decrescentes (à semelhança do Acordo Ortográfico de 1945):
"4.º As vogais consecutivas que não pertencem a ditongos decrescentes (as que pertencem a ditongos deste tipo nunca se separam: ai- roso, cadei- ra, insti- tui, ora- ção, sacris- tães, traves- sões) podem, se a primeira delas não é u precedido de g ou q, e mesmo que sejam iguais, separar-se na escrita: ala- úde, áre- as, ca- apeba, co- or- denar, do-er, flu- idez, perdo- as, vo-os. O mesmo se aplica aos casos de contiguidade de ditongos, iguais ou diferentes, ou de ditongos e vogais: cai- ais, cai- eis, ensai- os, flu- iu."

Uma vez que em fluorescência podemos estar perante um ditongo ou um hiato (independentemente de se aplicar o Acordo Ortográfico de 1990 ou não), o Dicionário Priberam indica (com pontos: flu·o·res·cên·ci·a) os locais onde é possível a divisão para translineação.

pub

Palavra do dia

is·ca·ri·o·te is·ca·ri·o·te
([Judas] Iscariotes, antropónimo [discípulo de Cristo que o traiu])
substantivo masculino

1. [Informal]   [Informal]  Traidor ou falso amigo. = JUDAS

2. [Informal]   [Informal]  Trapaceiro, velhaco.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/presente [consultado em 19-04-2019]