Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

pós

póspós | prep.
pós-pós- | pref.
masc. pl. de
Será que queria dizer pôs?
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pós pós


(latim post, depois de)
preposição

O mesmo que após.


pós- pós-


(latim post, depois de)
prefixo

1. Exprime a noção de momento posterior (ex.: pós-data, pós-laboral).

2. Exprime a noção de localização ou espaço posterior (ex.: pós-palato).

Nota: É sempre seguido de hífen.
Confrontar: pos-.



(latim pulvis, -eris)
nome masculino

1. Conjunto de partículas muito ténues que andam suspensas no ar ou se depositam sobre os corpos. = POEIRA

2. Estado particular de um corpo ou substância reduzida a pequeníssimas partículas (ex.: chocolate em pó; pó de talco).

3. [Figurado]   [Figurado]  Coisa sem valor.

4. Restos mortais.

5. Terra, solo.


fazer pó
Destruir, desfazer.

morder o pó
[Informal]   [Informal]  Ser vencido e derrubado.

[Informal]   [Informal]  Morrer.

pó fecundante
Pólen.

pós de amargaritão
[Antigo]   [Antigo]  Pós em que entram conchas pulverizadas.

pós de perlimpimpim
[Informal]   [Informal]  Substância de efeitos mágicos ou maravilhosos, no dizer de alguns charlatães e prestidigitadores.

[Informal]   [Informal]  Remédio para tudo.

reduzir a pó
Aniquilar, destruir.

ter (um) pó a
[Informal]   [Informal]  Antipatizar ou implicar com alguém ou alguma coisa.

sacudir o pó a
Dar pancada em. = ESPANCAR

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "pós" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

3 Jonas pôs -se a caminho, a fim de fugir para Társis, longe da presença do Senhor;;

Em Blog da Sagrada Família

de resíduos sólidos urbanos a implementarem o sistema de logística reversa de embalagens pós -consumo, de acordo com o que já estabelece Lei 8..

Em O VAGALUME

...anos de experiência em Neurologia, é formado pela UFJF em Minas Gerais, também é pós graduado em Neurointensivismo pelo Hospital Sírio Libanês de São Paulo, sendo

Em www.rafaelnemitz.com

Um item interessante, no entanto, é que havia um dispositivo na parte de trás da aeronave que permitia que o combustível fosse despejado e...

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS

em 2000 , foi postumamente introduzido no Hall da Fama dos Blues ..

Em Geopedrados
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Como se pode classificar gramaticalmente a frase assentar como uma luva?
A expressão idiomática assentar como uma luva pode ser classificada como uma locução verbal, pois sintacticamente o seu comportamento é equivalente ao de um verbo.



Em expressões como não análise, não excedente, não conhecimento, não aceitação, não provimento, etc., quando deve ser utilizado, ou não, o hífen?
A utilização do hífen em casos semelhantes aos apresentados é possível e até muito usual.

A palavra não, por se tratar de um advérbio, é uma palavra invariável usada geralmente para modificar um verbo (ex.: não comi), um adjectivo (ex.: pessoa não competente), outro advérbio (ex.: agindo não eficazmente) ou uma frase (ex.: não podemos deixar-nos adormecer) mas em geral não modifica substantivos. Por este motivo, é comum ligar este advérbio por hífen a um substantivo que se lhe segue, mas tal procedimento não é obrigatório, nem é regulado por qualquer indicação nos textos legais em vigor para a língua portuguesa.

O que é dito sobre o hífen no Acordo Ortográfico de 1945 (válido para o português europeu, mas muito semelhante ao que é dito no Formulário Ortográfico de 1943, válido para o português do Brasil) é bastante vago e nada esclarecedor sobre este assunto: “Emprega-se o hífen nos compostos em que entram, foneticamente distintos (e, portanto, com acentos gráficos, se os têm à parte), dois ou mais substantivos, ligados ou não por preposição ou outro elemento, um substantivo e um adjectivo, um adjectivo e um substantivo, dois adjectivos ou um adjectivo e um substantivo com valor adjectivo, uma forma verbal e um substantivo, duas formas verbais, ou ainda outras combinações de palavras, e em que o conjunto dos elementos, mantida a noção da composição, forma um sentido único ou uma aderência de sentidos.” (Base XXVIII [sublinhado nosso]).

O Acordo Ortográfico de 1990 não altera nada a este respeito.

O uso do hífen coloca então muitas dúvidas aos utilizadores da língua, pois não obedece geralmente a critérios lógicos, mas antes a convenções e muitas vezes é justificado devido à tradição de registo em dicionários de língua que funcionam como referência. Neste âmbito, surgem em muitos dicionários entradas com o elemento não- seguido de adjectivos, substantivos e verbos, mas como, em teoria, qualquer palavra de uma destas classes poderia ser modificada pelo advérbio não, o registo de todas as formas possíveis seria impraticável e de muito pouca utilidade para o consulente.

Em conclusão, podemos afirmar que o uso do hífen é possível para ligar o advérbio não a um substantivo; o uso do hífen para ligar o advérbio não a classes que são habitualmente modificadas por advérbios (verbos, adjectivos, advérbios) parece ser desnecessário, dadas as características da classe adverbial, mas nada o impede.

pub

Palavra do dia

neu·ro·ti·cis·mo neu·ro·ti·cis·mo


(neurótico + -ismo)
nome masculino

[Psicologia]   [Psicologia]  Tendência para comportamentos neuróticos (ex.: escala de neuroticismo).

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/p%C3%B3s [consultado em 18-10-2021]