Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

mate

matemate | n. m.
matemate | n. m.
matemate | n. m.
matemate | n. m.
matemate | adj. 2 g. | adj. 2 g. n. m.
1ª pess. sing. pres. conj. de matarmatar
3ª pess. sing. imp. de matarmatar
3ª pess. sing. pres. conj. de matarmatar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ma·te ma·te 2


(redução de xeque-mate ou xaque-mate)
nome masculino

Lance final no xadrez, que corresponde a um ataque ao rei que não tem defesa possível. = XAQUE-MATE, XEQUE-MATE


ma·te ma·te 3


(derivação regressiva de matar)
nome masculino

1. Apanhado de duas malhas.

2. Remate.


ma·te ma·te 4


(espanhol mate)
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]  Planta ilicácea da América do Sul. = CONGONHA, ERVA-MATE

2. Folha dessa planta, geralmente seca e preparada para o comércio. = CONGONHA

3. Bebida feita com a infusão das folhas dessa planta. = CHÁ-MATE


ma·te ma·te 5


(inglês matte)
nome masculino

[Antigo]   [Antigo]  Espécie de quilate com que se avaliava a pureza do ouro em Malaca.


ma·te ma·te 1


(francês mat)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Sem brilho (ex.: papel fotográfico mate). = BAÇO, FOSCO

adjectivo de dois géneros e nome masculino
adjetivo de dois géneros e nome masculino

2. Diz-se de ou cor trigueira da pele.


ma·tar ma·tar

- ConjugarConjugar

(latim vulgar *mattare, do latim macto, -are, honrar os deuses, consagrar, imolar uma vítima, punir, destruir, matar)
verbo transitivo e intransitivo

1. Tirar a vida a; causar a morte a (ex.: foi condenado por matar várias pessoas; a lei pune severamente quem mata; a guerra naquele país já matou milhares de pessoas).

2. Abater (reses).

3. Causar aflição ou sofrimento a. = AFLIGIR

4. [Brasil]   [Brasil]   [Jogos]   [Jogos]  Meter a bola de bilhar no buraco.

verbo transitivo

5. Causar grande dano ou prejuízo a. = ARRUINAR

6. Causar devastação ou destruição (ex.: as chuvas fortes mataram a plantação). = DESTRUIR

7. Causar grande sofrimento a. = AFLIGIR, MORTIFICAR

8. Importunar; molestar (ex.: vocês matam-me com tantas perguntas).

9. Fazer perder a qualidade ou o valor (ex.: as cores escolhidas mataram o conjunto das pinturas).

10. Fazer desaparecer. = EXTINGUIR

11. Saciar (ex.: matar a sede).

12. Passar (tempo) ociosamente (ex.: matou tempo a ler uma revista).

13. Levar à exaustão; causar grande cansaço.

14. Decifrar ou resolver (charadas, enigmas, passatempos, etc.).

15. [Informal]   [Informal]  Fazer grande esforço mental (ex.: não adianta matar a cabeça para encontrar justificações; matou os miolos a estudar e a pesquisar sobre o assunto).

16. [Informal]   [Informal]  Esvaziar, gastar ou consumir totalmente ou até ao fim (ex.: perguntou-lhe se podia matar o cigarro).

17. [Informal]   [Informal]   [Futebol]   [Futebol]  Amortecer o impacto (ex.: matar a bola com o peito).

18. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Não comparecer (no trabalho, nas aulas, etc.).

19. [Angola, Informal]   [Angola, Informal]  Vender fora dos circuitos legais a preços elevados.

verbo pronominal

20. Tirar a própria vida. = SUICIDAR-SE

21. [Figurado]   [Figurado]  Sacrificar-se, cansar-se.

22. [Figurado]   [Figurado]  Entregar-se por completo a uma actividade; esforçar-se muito para alguma coisa (ex.: matou-se para ter boas notas na escola).


a matar
Muito bem; na medida certa; na perfeição (ex.: essa roupa fica-lhe a matar).

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "mate" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...não recordo quem, sugeriu que pelo menos uma vez o iríamos pôr em xeque- mate , bastava combinar com o

Em TEMPO CONTADO

Yu confirmou ainda que uma nova geração da linha Mate "está em desenvolvimento e será lançada em 2022"..

Em Caderno B

...[5] Dados fornecidos pelos laboratórios Huawei, obtidos a partir de testes com o Huawei Mate 40..

Em www.appsdoandroid.com

...das poucas fabricantes do mercado já na segunda geração de smartphones dobráveis: o modelo Mate X2 foi anunciado em fevereiro deste ano..

Em Caderno B

", de 'A Cubata', do "Popei" e do "Xeque- Mate ", quase todos eles espaços dedicados à atividade a que podemos chamar, sem ofender...

Em O Porto de Leixões
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Encontrei uma resposta que passo a transcrever "Na frase Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante existe uma locução (aquele grupo de jovens) que corresponde a um sujeito da oração subordinada (quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante) com uma estrutura complexa. Nesta locução, o núcleo do sintagma é grupo, e é com este substantivo que deve concordar o verbo encontrar. Desta forma, a frase correcta seria Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontrou perto do restaurante."
Sendo que a frase em questão foi retirada do Campeonato Nacional de Língua Portuguesa, e a frase completa é "Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontraram perto da discoteca, aonde o Diogo os aguardava". Segundo a vossa resposta, dever-se-ia ter escrito "(...) aquele grupo de jovens se encontrou (...)". Mas se assim for, também seria de considerar "aonde o Diogo os aguardava", pois se consideramos que o sujeito é singular, não faz sentido dizer "os aguardava", mas sim "o aguardava". No entanto, não podemos considerar que existe concordância atractiva em que "deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo." (Gramática do Português Contemporâneo Cunha/Cintra)? Agradeço elucidação se mantêm a vossa opinião, tendo a frase completa. Já agora, na frase utiliza-se "aonde Diogo os esperava". Não deveria ser "onde"?
A Priberam Informática não pretende responder especificamente a perguntas do Campeonato Nacional da Língua Portuguesa, mas apenas a dúvidas linguísticas que lhe são colocadas e que são consideradas pertinentes, sendo as respostas redigidas tendo em conta a clareza e a concisão para os utilizadores.

As concordâncias são um caso problemático no português, como deixam claro Telmo Móia e João Peres no capítulo 7 de Áreas Críticas do Português (Caminho, 1995), e o caso em questão, aquele grupo de jovens, parece fazer parte de um conjunto de expressões formadas por um nome (como grupo ou conjunto) que, combinado com outro, “permitem referir colecções de objectos, sem as quantificarem” (Móia e Peres, p. 471). Esta reflexão parece mostrar que este grupo difere um pouco das expressões partitivas (como parte, porção ou maioria) que referem Celso Cunha e Lindley Cintra na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Edições João Sá da Costa, 1998, p. 496). No entanto, tanto num caso como noutro, a construção mais neutra deveria corresponder a uma unidade, ao todo, isto é, pegando no texto de Cunha e Cintra ("Deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo."), o plural parece ser uma maneira de modalizar o discurso, dando-lhe um matiz menos neutro, enfatizando, na unidade, os seus elementos constituintes. Vemos como estas construções são problemáticas quando comparadas, por exemplo, com um grupo nominal como carro das mercadorias, onde não hesitaríamos (ou hesitaríamos menos) em identificá-lo como uma unidade, com a correspondente flexão do verbo que se lhe seguisse (O carro das mercadorias entrou na rua). Por este motivo reiteramos as nossas observações da resposta concordâncias (I).

No que diz respeito à concordância do pronome pessoal os em Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontrou perto da discoteca, onde o Diogo os aguardava, pode dizer-se que, sendo um pronome pessoal, deve concordar com o seu antecedente, mas este antecedente não tem necessariamente de ser o sujeito da frase. Retomando um exemplo acima (O carro das mercadorias entrou na rua) podemos adaptá-lo a uma construção afim em que a concordância é possível com qualquer dos antecedentes (O carro das mercadorias entrou na rua, onde o comerciante as/o aguardava). São estas concordâncias possíveis com mais de um antecedente que por vezes tornam as frases ambíguas.

Relativamente à sua questão sobre onde e aonde, por favor consulte a resposta onde / aonde.

Sem qualquer crítica ao referido campeonato, podemos no entanto observar que a maioria das questões problemáticas da língua não se adequa a respostas apenas com dois valores, como sim/não ou correcto/incorrecto, pois contém uma complexidade que as ultrapassa.




Gostaria de tirar uma dúvida muito importante. Em call centers de telemarketing utilizamos a palavra absenteísmo para pessoas que faltam no trabalho, porém verifiquei no site que a definição dessa palavra é para ausência do voto e que para falta ou ausência de alguma pessoa se utiliza absentismo. Onde está o erro?? Será que todos call centers erraram??
De acordo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e com o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, os vocábulos absenteísmo e absentismo, provenientes do inglês absenteeism, pelo francês absentéisme, são sinónimos em qualquer acepção, inclusive na acepção “ausência do local de trabalho”, apesar de a forma absenteísmo ser mais usada no Brasil e considerada não preferencial pelo Dicionário Houaiss.
pub

Palavra do dia

es·pa·di·ci·flo·ro |ó|es·pa·di·ci·flo·ro |ó|


(espadice + -floro)
adjectivo
adjetivo

[Botânica]   [Botânica]  Diz-se da planta cuja inflorescência é a espadice.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/mate [consultado em 07-12-2021]