Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição.
Marote
Marieta
Mariete
Mallet (norma brasileira)
Marcelo (norma brasileira, na grafia pré-Acordo Ortográfico)
márcia (norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
márcio (norma brasileira)
marme (norma brasileira)
marmei (norma brasileira)
marmem (norma brasileira)
marmes (norma brasileira)
marquei (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
marte (norma brasileira)

Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.
pub

Dúvidas linguísticas


Uma professora minha disse que nunca se podia colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo. É verdade?
Sobre o uso da vírgula em geral, por favor consulte a dúvida vírgula antes da conjunção e. Especificamente sobre a questão colocada, de facto, a indicação de que não se pode colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo é verdadeira. O uso da vírgula, como o da pontuação em geral, é complexo, pois está intimamente ligado à decomposição sintáctica, lógica e discursiva das frases. Do ponto de vista lógico e sintáctico, não há qualquer motivo para separar o sujeito do seu predicado (ex.: *o rapaz [SUJEITO], comeu [PREDICADO]; *as pessoas que estiveram na exposição [SUJEITO], gostaram muito [PREDICADO]; o asterisco indica agramaticalidade). Da mesma forma, o verbo não deverá ser separado dos complementos obrigatórios que selecciona (ex.: *a casa é [Verbo], bonita [PREDICATIVO DO SUJEITO]; *o rapaz comeu [Verbo], bolachas e biscoitos [COMPLEMENTO DIRECTO]; *as pessoas gostaram [Verbo], da exposição [COMPLEMENTO INDIRECTO]; *as crianças ficaram [Verbo], no parque [COMPLEMENTO ADVERBIAL OBRIGATÓRIO]). Pela mesma lógica, o mesmo se aplica aos complementos seleccionados por substantivos (ex. * foi a casa, dos avós), por adjectivos (ex.: *estava impaciente, por sair) ou por advérbios (*lava as mãos antes, das refeições), que não deverão ser separados por vírgula da palavra que os selecciona.

Há, no entanto, alguns contextos em que pode haver entre o sujeito e o verbo uma estrutura sintáctica separada por vírgulas, mas apenas no caso de essa estrutura poder ser isolada por uma vírgula no início e no fim. Estes são normalmente os casos de adjuntos nominais (ex.: o rapaz, menino muito magro, comeu muito), adjuntos adverbiais (ex.: o rapaz, como habitualmente, comeu muito), orações subordinadas adverbiais (ex.: as pessoas que estiveram na exposição, apesar das más condições, gostaram muito), orações subordinadas relativas explicativas (ex.: o rapaz, que até não tinha fome, comeu muito).




Em conversa com amigos ouvi alguém dizer que avestruz é um nome masculino "o avestruz". Numa pesquisa na net confirmei que realmente é masculino mas em Portugal tem a designação no feminino " a avestruz". Poderiam por favor elucidar-me nesta questão?
O vocábulo português avestruz provém do substantivo masculino espanhol avestruz. Por sua vez, o vocábulo espanhol deriva de ave + estrutz, termo occitano proveniente do latim struthio,-onis, também masculino, e este do grego strouthíon, -onos, redução de strouthokámelos (de strouthós “pardal” + kámelos “camelo”), vocábulo masculino e feminino.

A generalidade dos dicionários e vocabulários de língua portuguesa consultados (Vocabulário da Língua Portuguesa, Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, etc.) regista avestruz como palavra masculina ou feminina (este avestruz ou esta avestruz). As excepções parecem ser a obra brasileira Dicionário de Usos do Português do Brasil (São Paulo: Editora Ática, 2002), que regista avestruz apenas como substantivo masculino, e a obra portuguesa Novo Grande Dicionário da Língua Portuguesa Conforme Acordo Ortográfico (Lisboa: Texto Editores, 2007), que regista avestruz apenas como substantivo feminino.

Pesquisas em corpora e em motores de pesquisa da Internet revelam que, apesar de o género masculino (o avestruz) ser mais usado no português do Brasil e de o género feminino (a avestruz) ser mais comum no português europeu, há ocorrências consideráveis deste substantivo nos dois géneros em páginas portuguesas e brasileiras.

Palavra do dia

o·ca·ra |ò| o·ca·ra |ò|
(tupi o'kara)
nome feminino

[Brasil]   [Brasil]  Praça de uma aldeia indígena.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/market [consultado em 09-08-2020]