Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
mártirmártir | s. 2 g.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

már·tir már·tir
substantivo de dois géneros

1. Pessoa que sofre tormentos ou a morte por uma crença, uma ideia ou uma causa.

2. [Figurado]   [Figurado]  Pessoa que sofre maus tratos.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "mártir" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Qual é o género da palavra própolis? Tanto quanto sei, é apenas substantivo feminino, apesar de haver quem use a palavra como sendo masculina mas, quanto a mim, de forma errada.
A classificação da palavra própolis (o própolis ou a própolis) não é consensual nas principais obras lexicográficas portuguesas.

Com efeito, no Grande Dicionário da Língua Portuguesa (10.ª ed., Lisboa: Editorial Confluência, 12 vol., 1949-1959), de António de Morais Silva, própolis é classificada apenas como substantivo masculino. A mesma opção é seguida por José Pedro Machado no Grande Dicionário da Língua Portuguesa (12 vol., Porto: Amigos do Livro Editores, 1981) mas, no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa (Lisboa: Âncora Editora, 2001), do mesmo autor, já se encontra própolis com indicação: “s. m. e s. f.”. Não se pense porém que a indicação dos dois géneros é recente, pois o Dicionário de Língua Portuguesa (10.ª ed., 2 vol., Lisboa: Livraria Bertrand, 1949), de Cândido de Figueiredo, já registava essa opção. Na tradição lexicográfica brasileira a questão não é problemática, já que tanto própolis como própole são considerados substantivos femininos ou substantivos masculinos.

Pesquisas em corpora e em motores de busca da Internet revelam que o emprego de própolis como substantivo feminino é mais frequente mas que também existem ocorrências muito significativas de própolis como substantivo masculino. A flutuação de género que se verifica no uso real da língua e na própria dicionarização da palavra justifica a classificação de própolis como substantivo feminino ou masculino de dois números.




No novo acordo ortográfico está assinalado que os axiônimos (pronomes de tratamento e expressões de reverência) só são usados com a inicial minúscula: senhor doutor Joaquim da Silva, excelentíssimo senhor, etc. Nesse item são inseridos os títulos também apesar dessa palavra nãos estar grafada no texto do acordo, só são colocados os exemplos: bacharel Mário Abrantes, cardeal Bembo. Todavia verifiquei que há estudiosos da língua, que ao comentarem o Novo Acordo Ortográfico (1990) citam que os axiônimos e títulos podem ter o uso facultativo de inicial maiúscula ou minúscula, podendo ser escritos: bacharel/Bacharel Mário Abrantes, cardeal/Cardeal Bembo, excelentíssimo senhor Augusto Barroso/ Excelentíssimo Senhor Augusto Barroso. Afinal, as iniciais dos axiônimos e títulos podem ser escritas somente com minúscula ou aceitam o uso facultativo em minúscula/maiúscula?
O Acordo Ortográfico de 1990 altera alguns usos decorrentes das disposições do Acordo Ortográfico de 1945 e do Formulário Ortográfico de 1943, os textos legais anteriormente em vigor, respectivamente, para a norma europeia e para a norma brasileira do português.

Desconhecendo os comentários dos estudiosos da língua que refere, podemos apenas indicar que, relativamente à designação de formas de tratamento ou de reverência (axiónimos), a alínea f) do ponto 1º da Base XIX do Acordo de 1990 estipula claramente que os mesmos devem ser escritos com inicial minúscula (ilustrando com os exemplos senhor doutor Joaquim da Silva, bacharel Mário Abrantes, o cardeal Bembo), como, aliás, menciona na sua mensagem. A mesma alínea ressalva a possibilidade de se usar minúscula inicial ou maiúscula inicial apenas no caso de nomes de santos ou nomes próprios ligados à religião (hagiónimos), como santa Filomena, que também pode ser grafado Santa Filomena. A Base XIX termina com a seguinte nota: “As disposições sobre os usos das minúsculas e maiúsculas não obstam a que obras especializadas observem regras próprias, provindas de códigos ou normalizações específicas (terminologias antropológica, geológica, bibliológica, botânica, zoológica, etc.), promanadas de entidades científicas ou normalizadoras reconhecidas internacionalmente.” Esta observação não parece contemplar a facultatividade de inicial minúscula ou maiúscula no caso dos axiónimos, pelo que, à luz do texto legal, os axiónimos devem ser escritos com inicial minúscula.

pub

Palavra do dia

cri·ou·lo cri·ou·lo
(criar + -olo)
substantivo masculino

1. Descendente de europeus nascido na América.

2. Negro nascido no Brasil.

3. [Brasil]   [Brasil]  Pessoa, animal ou vegetal, próprio de certas localidades.

4. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Língua, originada pelo contacto intenso de uma língua europeia com as línguas, nativas ou não, faladas numa região, que combina e transforma traços dessas línguas e que se tornou língua materna de uma comunidade (ex.: crioulo de base lexical portuguesa; crioulo de base francesa).

5. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Língua de base lexical portuguesa, falada em Cabo Verde, que engloba diferentes variedades.

adjectivo
adjetivo

6. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Que é relativo a um crioulo.

7. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Que é relativo ao crioulo de Cabo Verde.

8. [Brasil]   [Brasil]  Nascido em certa localidade. = ABORÍGENE, AUTÓCTONE

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/m%C3%A1rtir [consultado em 21-02-2019]