PT
BR
Pesquisar
Definições



dobra

A forma dobrapode ser [segunda pessoa singular do imperativo de dobrardobrar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de dobrardobrar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
dobra1dobra1
( do·bra

do·bra

)


nome feminino

1. Cada uma das partes que se sobrepõem umas às outras no que está dobrado.

2. Parte por onde se dobrou alguma coisa.

3. Vinco ou prega que resulta dessa dobragem.

4. Peça sobreposta para reforço.

5. [Geologia] [Geologia] Curvatura ou flexão de estratos originalmente planos, geralmente resultante de forças compressivas. = PREGA

etimologiaOrigem etimológica:derivação regressiva de dobrar.
dobra2dobra2
( do·bra

do·bra

)


nome feminino

1. [Economia] [Economia] Unidade monetária de São Tomé e Príncipe (código: STD).

2. [Numismática] [Numismática] Antiga moeda de prata e de ouro.

etimologiaOrigem etimológica:latim dupla, feminino de duplus, -a, -um, dobro.
dobrardobrar
( do·brar

do·brar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Pôr dobrado.

2. Fazer curvar, vergar ou torcer.

3. Voltar.

4. Passar além de.

5. Passar por (para tomar outra direcção).

6. Duplicar.

7. Tornar mais forte, mais intenso, mais activo.

8. Demover, modificar.

9. Induzir.

10. Fazer ceder, obrigar, coagir.

11. [Brasil] [Brasil] Gorjear, cantar.

12. [Cinema, Televisão] [Cinema, Televisão] Executar uma dobragem. (Equivalente no português do Brasil: dublar.)

13. [Desporto] [Esporte] Conseguir uma volta de avanço sobre um adversário.

14. [Teatro] [Teatro] Substituir um actor. (Equivalente no português do Brasil: dublar.)


verbo intransitivo

15. Tocar (o sino) a finados.

16. Duplicar-se; aumentar.

17. Ceder.

18. Dar volta.


verbo pronominal

19. Multiplicar-se.

Auxiliares de tradução

Traduzir "dobra" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



A minha dúvida é a respeito da etimologia de determinadas palavras cuja raiz é de origem latina, por ex. bondade, sensibilidade, depressão, etc. No Dicionário Priberam elas aparecem com a terminação nominativa mas noutros dicionários parece-me que estão na terminação ablativa e não nominativa. Gostaria que me esclarecessem.
O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa regista, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas que são normalmente enunciadas na forma do nominativo, seguida do genitivo: bonitas, bonitatis (ou bonitas, -atis); sensibilitas, sensibilitatis (ou sensibilitas, -atis) e depressio, depressionis (ou depressio, -onis).

Noutros dicionários gerais de língua portuguesa, é muito usual o registo da etimologia latina através da forma do acusativo sem a desinência -m (não se trata, como à primeira vista pode parecer, do ablativo). Isto acontece por ser o acusativo o caso lexicogénico, isto é, o caso latino que deu origem à maioria das palavras do português, e por, na evolução do latim para o português, o -m da desinência acusativa ter invariavelmente desaparecido. Assim, alguns dicionários registam, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas bonitate, sensibilitate e depressione, que foram extrapoladas, respectivamente, dos acusativos bonitatem, sensibilitatem e depressionem.

Esta opção de apresentar o acusativo apocopado pode causar alguma perplexidade nos consulentes dos dicionários, que depois não encontram estas formas em dicionários de latim. Alguns dicionários optam por assinalar a queda do -m, colocando um hífen no final do étimo latino (ex.: bonitate-, sensibilitate-, depressione-). Outros, mais raros, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa optaram por enunciar os étimos latinos (ex.: bonitas, -atis; sensibilitas, -atis, depressio, -onis), não os apresentando como a maioria dos dicionários; o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa não enuncia o étimo latino dos verbos, referenciando apenas a forma do infinitivo (ex.: fazer < facere; sentir < sentire).




Gostava que me dessem a expressão latina, e utilizada em português, "per seculum e seculorum..." se possível. Não sei se está correcta na forma apresentada, poderão corrigi-la?
A expressão latina deverá ser per saecula saeculorum. Esta é uma locução adverbial, formada pela preposição per “por”, pelo substantivo neutro saeculum no acusativo plural e pelo mesmo substantivo saeculum no genitivo plural e pode ser traduzida literalmente como “pelos séculos dos séculos” e, menos literalmente, como “para todo o sempre”. Relativamente ao substantivo saeculum, é possível a grafia saeclum e ainda, menos correctas, as grafias seculum e seclum.