Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

brenzlig

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição.

Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.
pub

Dúvidas linguísticas


A utilização de aspas dentro de aspas é correta, como quando, por exemplo, se realça uma palavra dentro de uma citação, ou se cita algo dentro de outra citação? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei" (palavras realçadas). Um deles está bem perto, que é o do art. 42, § 1.º" (fim de citação). Outras dúvidas relacionadas: O que fazer quando a palavra realçada for a última da citação, fazendo com que as aspas de uma e outra coincidam? Utilizam-se uma ou duas aspas no final da frase? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei". ou "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei"". As aspas vêm antes ou depois do ponto final numa citação? Exemplo: "Eu adoro chocolate". ou "Eu adoro chocolate."
Nos exemplos citados, as aspas estão a ser usadas para identificar uma citação e para destacar uma parte do texto. Estes são dois usos possíveis para as aspas, mas o seu emprego simultâneo pode gerar confusão no leitor, que poderá considerar que se trata de uma citação dentro de uma citação. Por este motivo, para tornar mais claro um destaque dentro de uma citação, será aconselhável recorrer a outra maneira de dar destaque gráfico, como o itálico (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o sublinhado (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o negro (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei") ou a combinação de dois ou mais destes destaques gráficos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei").

Não é, no entanto, incorrecta a utilização de aspas dentro de aspas, devendo haver o cuidado de fechar cada um dos conjuntos de aspas, mesmo que isso origine sinais repetidos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei""); nestes casos, poderá optar pelo uso de aspas diferentes (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos «casos expressos em lei»").





Gostaria que me explicassem melhor quando se deve utilizar obrigado ou obrigada. Devo eu, sendo mulher, dizer sempre obrigada?
Obrigado é um adjectivo que pode ser definido como "que se sente devedor de alguma coisa, geralmente um favor ou uma amabilidade” e pode normalmente ser sinónimo de agradecido, grato ou reconhecido. Este adjectivo deriva do verbo obrigar, sendo provável que fossem usuais construções semelhantes a Estou-lhe obrigado ou Ela ficou-lhe obrigada ou ainda Estamos muito obrigados pelo favor que nos fez, mas estas construções não são frequentes na língua contemporânea.

Quando obrigado é usado como forma de agradecimento, entende-se tradicionalmente que se trata de um uso adjectival, e por isso muitos gramáticos aconselham que o adjectivo deve concordar com o sujeito que se exprime: obrigado, se se tratar de um sujeito masculino; obrigada, se se tratar de um sujeito feminino; obrigados, se se tratar de um sujeito masculino plural e obrigadas, se se tratar de um sujeito feminino plural. No entanto, é possível considerar obrigado uma interjeição, pois nada há que justifique tratar-se de um adjectivo, quando usado isoladamente. Neste caso, e visto que as interjeições são palavras invariáveis, a forma a usar deverá ser única -obrigado -, independentemente do género ou número do sujeito que fala. Este caso de obrigado como interjeição poderá então aproximar-se de outros casos em que um adjectivo original perde a flexão e passa a constituir uma interjeição (ex.: Aplaudo essa proposta; apoiado! Óptimo; adorei os resultados! Pronto, meninas, vamos embora!).

Como conclusão, pode dizer-se que uma mulher pode agradecer de forma correcta com obrigada (utilizando um adjectivo que concorda em género e número com o sujeito falante) ou com obrigado (utilizando uma interjeição, que é invariável), mas um homem só deverá agradecer com obrigado, pois esta forma é a do adjectivo masculino singular e da interjeição.

Palavra do dia

reu·chli·ni·a·no reu·chli·ni·a·no


([Johannes] Reuchlin, antropónimo + -iano)
adjectivo
adjetivo

[Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Relativo à pronúncia do grego clássico que segue a do grego moderno, defendida por Johann Reuchlin (1455-1522), humanista e filólogo alemão.ERASMIANO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/brenzlig [consultado em 30-06-2022]