Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
acrotérioacrotério | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

a·cro·té·ri·o a·cro·té·ri·o
substantivo masculino

1. Vértice, cume, extremidade de qualquer objecto.

2. Pedestal das figuras que encimavam um frontão.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "acrotério" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


De acordo com as regras de colocação pronominal, usa-se próclise após advérbios e ênclise após gerúndios, sem o EM. Sendo assim, como ficaria a frase: quase o arrastando ou quase arrastando-o?
No português de Portugal, se não houver algo que atraia o clítico para outra posição, a posição padrão é a ênclise, isto é, a colocação do clítico depois do verbo (ex.: Ele arrastou-o).

Para o português do Brasil, a posição padrão é a próclise, isto é, a colocação do clítico antes do verbo (ex.: Ele o arrastou).

Tanto na norma de Portugal, como na norma do Brasil, a maioria dos advérbios e das preposições têm a propriedade de atrair o clítico, motivo pelo qual, com a utilização do gerúndio antecedido da preposição em ou do advérbio quase, o clítico é habitualmente colocado antes da forma verbal (ex.: em o arrastando; quase o arrastando).




Qual destas duas frases está correcta: Era uma vez um pato que teve a má sorte de viver com um lavrador... ou Era uma vez um pato que tinha a má sorte de viver com um lavrador...
Ambas as frases estão correctas, havendo apenas uma diferença relativa ao tempo verbal empregue.

Na primeira frase há o uso do pretérito perfeito do indicativo (teve), que deverá ser usado para expor uma acção, um processo ou um estado num tempo passado acabado (equivalente a era uma vez um pato que teve a má sorte de viver com um lavrador, mas conseguiu fugir).

Na segunda frase há o uso do pretérito imperfeito do indicativo (tinha), que deverá ser usado para expor uma acção, um processo ou um estado num tempo passado que ainda dura ou que se repete (equivalente a era uma vez um pato que tinha a má sorte de viver com um lavrador e que era muito infeliz).

No contexto de uma história infantil ou afim, como parece ser o caso, será eventualmente preferível utilizar o pretérito imperfeito se a narração se debruçar sobre a acção, o processo ou o estado a que diz respeito o verbo.

pub

Palavra do dia

su·bóp·ti·mo |ót| su·bó·ti·mo su·bó·ti·mo
(latim optimus, -a, -um, superlativo de bonus, -a, -um, bom)
adjectivo
adjetivo

Que não atinge a mais alta qualidade; que corresponde a um padrão abaixo de óptimo (ex.: o desempenho ainda está num nível subóptimo).


• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: subótimo.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: subóptimo.


• Grafia no Brasil: subótimo.

• Grafia em Portugal: subóptimo.
pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/acrot%C3%A9rio [consultado em 27-06-2019]