Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição.
Belém
Elem
Melem (norma brasileira)
Telles (norma brasileira)

Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.
pub

Dúvidas linguísticas


Existe a palavra responsível?
A palavra responsível não se encontra registada em nenhum dos dicionários de língua portuguesa à nossa disposição, sendo formada a partir da aposição do sufixo -ível à raiz latina respons-, do vocábulo responsum, que significa “resposta”. Embora o adjectivo responsível tenha algumas ocorrências em corpora e motores de pesquisa da Internet, o adjectivo responsivo, que partilha do mesmo significado (a que poderá aceder, seguindo a hiperligação), encontra-se dicionarizado, estando o seu uso mais difundido.



Qual o futuro do conjuntivo do verbo aprazer? É aprouver? Ou aprouver é outro verbo?
A forma do futuro do conjuntivo do verbo aprazer atestada pela maioria das gramáticas, prontuários e obras de referência é aprouver.

O radical -prouv- é comum também às formas verbais do pretérito perfeito do indicativo (ex.: aquela situação não lhe aprouve), do pretérito mais-que-perfeito do indicativo (ex.: aquilo não aprouvera a ninguém), do pretérito imperfeito do conjuntivo (ex.: se não lhe aprouvesse, deveria reclamar), não só do verbo aprazer, mas de todos os verbos derivados do verbo prazer, como são desaprazer e desprazer.

O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2001; Lisboa: Círculo de Leitores, 2002), no verbete -azer, considera modernas as formas como prazi, prazera, prazesse, prazer em vez de prouve, prouvera, prouvesse, prouver. Este mesmo dicionário, na sua versão electrónica (Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa, versão 1.0, Instituto Antônio Houaiss, Dezembro de 2001), refere que há "modernamente" gramáticos que aceitam também a conjugação regular com o radical -praz- para este tempos, em vez de -prouv-.

A dupla conjugação de todos estes verbos é também preconizada por Ana Maria GUEDES e Rui GUEDES, no Dicionário Dom Quixote dos verbos da língua portuguesa: as flexões, conjugações, regências e particularidades de todos os verbos de língua portuguesa (Lisboa: Dom Quixote, 1999) e ainda pelo Dicionário Gramatical de Verbos Portugueses (Lisboa: Texto Editores, 2007). Esta opção relaciona-se com o facto de as obras de referência (como o Vocabulário da Língua Portuguesa de Rebelo GONÇALVES, Coimbra: Coimbra Editora, 1966, a Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso CUNHA e Lindley CINTRA, 14ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, pp. 430-431, ou o Grande Vocabulário da Língua Portuguesa de José Pedro MACHADO, Lisboa: Âncora, 2001) que preconizam a raiz de prouver para todos os tempos indicados no verbo prazer e derivados aceitarem dupla conjugação para comprazer e descomprazer nestes tempos (ex. comprazer/comprouver).

Deve ainda referir-se que, do ponto de vista etimológico, não há qualquer motivo para haver diferença de conjugação entre ambos os verbos comprazer e prazer (que dão origem aos derivados que como eles se conjugam), pois derivam, respectivamente, dos verbos latinos complacere e placere, que têm paradigmas de conjugação idênticos.

Palavra do dia

as·sus·to·so |ô| as·sus·to·so |ô|
(a- + susto + -oso)

adjectivo
adjetivo

1. Que amedronta ou causa susto (ex.: barulho assustoso). = ASSUSTADOR

Plural: assustosos |ó|.Plural: assustosos |ó|.
pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/Wellen [consultado em 31-10-2020]