Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

vacin��fero

Palavra não encontrada. Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.
pub

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber como se escreve um valor quebrado de porcentagem por extenso. Pois se 10% eu escrevo "dez por cento", então como eu escreveria 10,30%?
Para escrever por extenso um número inteiro seguido de um valor fraccionário decimal (ex.: 10,30%), poderá referir a vírgula por extenso (ex.: dez vírgula trinta por cento ou dez vírgula três por cento) ou, alternativamente (e esta será uma forma menos usual), utilizar os numerais fraccionários a seguir aos numerais cardinais (ex.: dez e trinta centésimos por cento ou dez e três décimos por cento). Nesta última hipótese, pode ainda ser usado o adjectivo inteiro para melhor distinguir os numerais cardinais dos fraccionários (ex.: dez inteiros e trinta centésimos por cento ou dez inteiros e três décimos por cento) ou ainda utilizar o adjectivo percentual em vez da locução por cento (ex.: dez e trinta centésimos percentuais; dez e três décimos percentuais). Perante as várias possibilidades, é de referir que a opção tomada deverá ser mantida ao longo de um mesmo texto, sempre que referir este tipo de números, por uma questão de coerência textual.



Acho que se escreve boa fé e má fé e não boa-fé e má-fé, como sugere o dicionário. Estou certo?
A tradição lexicográfica portuguesa consagrou o uso do hífen em boa-fé e em má-fé e são estas grafias que aparecem registadas nas principais obras de referência da língua portuguesa contemporânea, nomeadamente em vocabulários, como o Vocabulário da Língua Portuguesa, de Rebelo Gonçalves (Coimbra: Coimbra Ed., 1966) ou o Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Lisboa: Ed. Âncora, 2001), e em dicionários, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Verbo, 2001), o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Lisboa: Círculo de Leitores, 2002) ou o Novo Dicionário Aurélio de Língua Portuguesa (Curitiba: Positivo, 2004).

O uso do hífen é problemático para os utilizadores da língua, pois obedece a regras pouco evidentes e algo contraditórias e é por vezes ditado por uma tradição lexicográfica que os falantes desconhecem. No caso específico de boa-fé, esta dificuldade torna-se evidente numa pesquisa em corpora ou em motores de busca da internet, podendo observar-se a ocorrência da palavra hifenizada a par da locução boa fé, inclusivamente em textos jurídicos. Estes casos, não estando previstos nas bases do Acordo Ortográfico que regulam o uso do hífen, regem-se geralmente pela tradição lexicográfica, motivo pelo qual é aconselhável optar pela grafia boa-fé, atestada na maioria das obras de referência, em detrimento da locução boa fé.

Palavra do dia

ses·qui·pe·dal ses·qui·pe·dal


(latim sesquipedalis, -e)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Que tem pé e meio de comprido.

2. [Jocoso]   [Jocoso]  Que é muito grande (ex.: ignorância sesquipedal; versos sesquipedais).

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/vacin%C3%AF%C2%BF%C2%BD%C3%AF%C2%BF%C2%BDfero [consultado em 23-01-2022]