PT
BR
Pesquisar
Definições



carácter

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
caráctercaráter ou caráctercaráter
|át| ou |áct| |át| ou |áct| |át|
( ca·rác·ter ca·rá·ter ou ca·rác·ter

ca·rá·ter

)
Imagem

Artes gráficasArtes gráficas

Molde de letra escrita.


nome masculino

1. O que faz com que os entes ou objectos se distingam entre os outros da sua espécie.

2. Marca, cunho, impressão.

3. Propriedade.

4. Qualidade distintiva.

5. Índole, génio.

6. Firmeza.

7. Dignidade.

8. [Artes gráficas] [Artes gráficas] Molde de letra escrita.Imagem

9. Sinal, figura ou símbolo usado na escrita.

10. [Artes gráficas] [Artes gráficas] Tipo de imprensa. = LETRA

11. Sinal de abreviatura.

12. [Medicina] [Medicina] Aspecto.


carácter recessivo

[Genética] [Genética]  Carácter hereditário ou gene que se manifesta pela ausência do gene contrário, chamado dominante.

caracteres antropomórficos

Aqueles que são ornamentados com desenhos representando figuras humanas.

caracteres góticos

Aqueles que se empregaram nos primeiros ensaios tipográficos.

caracteres sexuais

Conjunto das manifestações anatómicas e fisiológicas determinadas pelo sexo. (Distinguem-se os caracteres sexuais primários [órgãos genitais] e os caracteres sexuais secundários [pilosidade (barba, etc.), adiposidade, voz], especiais de cada sexo.)

vistoPlural: caracteres.
etimologiaOrigem etimológica:latim character, -eris, sinal, marca.
iconPlural: caracteres.
Ver também resposta à dúvida: singular de caracteres.
sinonimo ou antonimo Dupla grafia pelo Acordo Ortográfico de 1990: caráter ou carácter.
sinonimo ou antonimo Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: carácter.
grafiaGrafia no Brasil:caráter.
grafiaGrafia em Portugal:carácter.

Auxiliares de tradução

Traduzir "carácter" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Como se pronuncia xenofobia? É xenofobia ou zenofobia?
O x- de xenofobia pronuncia-se ch, como na palavra chave, pois esta é a pronúncia em português para a letra X em início de palavra (ex.: xadrez, xenofobia, xisto, xô). São raros os casos em que a letra x se pronuncia [z] e estes casos correspondem a um contexto intervocálico em algumas palavras começadas por e- (ex.: exagerar, exemplo, existir, exótico, exuberante) ou nos seus derivados (ex.: coexistir, inexacto, preexistir, reexaminar, sobreexaltar [ou sobre-exaltar, segundo o Acordo Ortográfico de 1990 - ver Base XVI, 1.º, alínea b)]).



A minha dúvida é a respeito da etimologia de determinadas palavras cuja raiz é de origem latina, por ex. bondade, sensibilidade, depressão, etc. No Dicionário Priberam elas aparecem com a terminação nominativa mas noutros dicionários parece-me que estão na terminação ablativa e não nominativa. Gostaria que me esclarecessem.
O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa regista, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas que são normalmente enunciadas na forma do nominativo, seguida do genitivo: bonitas, bonitatis (ou bonitas, -atis); sensibilitas, sensibilitatis (ou sensibilitas, -atis) e depressio, depressionis (ou depressio, -onis).

Noutros dicionários gerais de língua portuguesa, é muito usual o registo da etimologia latina através da forma do acusativo sem a desinência -m (não se trata, como à primeira vista pode parecer, do ablativo). Isto acontece por ser o acusativo o caso lexicogénico, isto é, o caso latino que deu origem à maioria das palavras do português, e por, na evolução do latim para o português, o -m da desinência acusativa ter invariavelmente desaparecido. Assim, alguns dicionários registam, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas bonitate, sensibilitate e depressione, que foram extrapoladas, respectivamente, dos acusativos bonitatem, sensibilitatem e depressionem.

Esta opção de apresentar o acusativo apocopado pode causar alguma perplexidade nos consulentes dos dicionários, que depois não encontram estas formas em dicionários de latim. Alguns dicionários optam por assinalar a queda do -m, colocando um hífen no final do étimo latino (ex.: bonitate-, sensibilitate-, depressione-). Outros, mais raros, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa optaram por enunciar os étimos latinos (ex.: bonitas, -atis; sensibilitas, -atis, depressio, -onis), não os apresentando como a maioria dos dicionários; o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa não enuncia o étimo latino dos verbos, referenciando apenas a forma do infinitivo (ex.: fazer < facere; sentir < sentire).