Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
caráctercaráter ou caráctercaráter | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ca·rác·ter |át| ou |áct| ca·rá·ter |át| ou ca·rác·ter |áct| ca·rá·ter |át|
(latim character, -eris, sinal, marca)
substantivo masculino

1. O que faz com que os entes ou objectos se distingam entre os outros da sua espécie.

2. Marca, cunho, impressão.

3. Propriedade.

4. Qualidade distintiva.

5. Índole, génio.

6. Firmeza.

7. Dignidade.

8. [Artes gráficas]   [Artes gráficas]  Molde de letra escrita.Ver imagem

9. Sinal, figura ou símbolo usado na escrita.

10. [Artes gráficas]   [Artes gráficas]  Tipo de imprensa. = LETRA

11. Sinal de abreviatura.

12. [Medicina]   [Medicina]  Aspecto.


carácter recessivo
[Genética]   [Genética]  Carácter hereditário ou gene que se manifesta pela ausência do gene contrário, chamado dominante.

caracteres antropomórficos
Aqueles que são ornamentados com desenhos representando figuras humanas.

caracteres góticos
Aqueles que se empregaram nos primeiros ensaios tipográficos.

Plural: caracteres.Plural: caracteres.

Ver também dúvida linguística: singular de caracteres.

• Dupla grafia pelo Acordo Ortográfico de 1990: caráter ou carácter.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: carácter.


• Grafia no Brasil: caráter.

• Grafia em Portugal: carácter.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "carácter" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber como se deve pronunciar a palavra item: "item" ou "aitem" como tantas vezes se ouve?
O substantivo português item tem origem no advérbio latino item, com o significado "da mesma forma" ou "também" e é usado em enumerações ou listas. Em português, esta palavra pode significar "artigo" ou "uma das partes de algo". Relativamente à pronúncia da parte final da palavra, parece haver alguma oscilação entre uma pronúncia alatinada ['it3m] (em que se lê a consoante m, como em estrangeirismos como modem) e uma pronúncia de acordo com as regras gerais da terminação -em ['itãj] (em que -em se lê como uma vogal nasal, à semelhança de em ou nuvem). Não há, no entanto, nenhum motivo para pronunciar o i inicial como [ai], pois isso não corresponde à pronúncia desta vogal em português; a pronúncia [ai]tem corresponde a uma influência da pronúncia do inglês (como em iceberg ou em ice tea), que não se justifica neste caso. Os argumentos acima expostos podem aplicar-se a outros latinismos como idem ou ibidem.



Agradeço que esclareçam se as frases que se seguem estão correctas: 1 - Quem vai ao cinema é a Maria e o João. 2 - Quem vai ao cinema são a Maria e o João. Sempre pensei que a frase correcta fosse a segunda, tendo em conta que o sujeito está no plural e que o verbo deve concordar com o sujeito. No entanto, debati a questão com uma amiga e não conseguimos chegar a um consenso.
Considera-se mais correcta a frase Quem vai ao cinema são a Maria e o João.

A questão colocada diz respeito a uma frase que contém uma estrutura copulativa de identificação (equivalente a isto é aquilo [=Quem vai ao cinema são/é a Maria e o João]). Esta estrutura constitui uma das construções de clivagem possíveis em português (sobre este assunto, poderá consultar a Gramática da Língua Portuguesa, de MATEUS et al., 5.ª ed. Editorial Caminho, 2003, pp. 685 e seguintes), designada por construção pseudoclivada.

A frase em apreço (Quem vai ao cinema são/é a Maria e o João) é equivalente, do ponto de vista semântico e informativo, à frase A Maria e o João vão ao cinema, havendo um constituinte que é posto em destaque através de uma oração subordinada relativa substantiva sem antecedente (Quem vai ao cinema). O pronome pessoal quem é um pronome de terceira pessoa do singular e obriga o verbo a concordar com ele dentro da oração subordinada - no caso em análise trata-se da forma do presente do indicativo (vai) do verbo ir (sobre quem como sujeito da oração, poderá consultar também as respostas sou eu quem e fui eu quem).

Toda a oração subordinada constitui por sua vez o predicativo do sujeito da oração subordinante, com uma inversão da ordem canónica da frase:
[Quem vai ao cinema]Predicativo do sujeito [são/é]Verbo copulativo [a Maria e o João]Sujeito.
A identificação do sujeito e do predicativo do sujeito pode ser feita com a retoma do sujeito da frase A Maria e o João vão ao cinema e com a pronominalização do predicativo do sujeito através do pronome demonstrativo invariável o (ex.: A Maria e o João são-no; *Quem vai ao cinema é-o). Sobre os testes de identificação do sujeito e do predicativo do sujeito, poderá ainda consultar a Gramática da Língua Portuguesa, de MATEUS et al., pp. 281-284 e pp. 290-292.

A ordem canónica da frase será então:
[A Maria e o João]Sujeito [são/é]Verbo copulativo [quem vai ao cinema]Predicativo do sujeito.
Assim é possível verificar que a concordância verbal com o sujeito composto (a Maria e o João = eles) está correcta e é preferencial (Quem vai ao cinema são a Maria e o João), pois respeita a regra geral de concordância com sujeitos compostos, não havendo motivo para a concordância com o predicativo do sujeito (*A Maria e o João é quem vai ao cinema = Quem vai ao cinema é a Maria e o João).

A concordância dos verbos copulativos é problemática em português, motivo pelo qual a frase Quem vai ao cinema é a Maria e o João pode ser considerada gramatical, se se considerar que nesse caso o verbo concorda com o predicativo do sujeito em posição pós-verbal (sobre este assunto, pode consultar também a resposta verbo predicativo ser), mas dificilmente um falante poderá considerar gramatical a substituição do sujeito composto pelo pronome pessoal correspondente (*Quem vai ao cinema é eles).

pub

Palavra do dia

o·lho·-de·-boi |ôlhu| o·lho·-de·-boi |ôlhu|
substantivo masculino

1. Abertura, geralmente redonda ou oval, no tecto ou na parede de um edifício, para deixar entrar a luz. = CLARABÓIA

2. Janela circular ou ovalada. = ÓCULO

3. [Portugal]   [Portugal]   [Botânica]   [Botânica]  Designação comum a várias plantas da família das compostas. = PAMPILHO

4. [Portugal: Madeira]   [Portugal: Madeira]  Lanterna portátil.

5. [Brasil]   [Brasil]  Selo postal impresso pelo Governo Imperial brasileiro entre 1843 e 1844, com valores gravados de 30, 60 e 90 réis.

6. [Brasil]   [Brasil]   [Botânica]   [Botânica]  Árvore (Talisia esculenta) da família das sapindáceas, de folhas perenes e alternas, flores brancas dispostas em panícula, frutos drupáceos dispostos em cachos, nativa da América do Sul. = PITOMBEIRA

7. [Brasil]   [Brasil]   [Botânica]   [Botânica]  Planta trepadeira (Dioclea violacea), da família das leguminosas, de flores purpúreas e vagens com sementes grandes. = CORONHA, MUCUNÃ

8. Semente dessa planta, usada como amuleto.

Plural: olhos-de-boi |ólhus|.Plural: olhos-de-boi |ólhus|.
pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/car%C3%A1cter [consultado em 24-09-2018]