Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

botic��o

Palavra não encontrada. Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.
pub

Dúvidas linguísticas


A dúvida é se o verbo parabenizar necessita de uma preposição. No caso seria "o Banco real parabeniza os ingressantes na UFU" ou "o Banco real parabeniza aos ingressantes à UFU"?
O verbo parabenizar, tal como os seus sinónimos congratular ou felicitar, é transitivo directo, conforme regista o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Por outras palavras, este verbo utiliza-se imediatamente seguido de complemento directo, sem preposição, pelo que a frase correcta é o Banco real parabeniza os ingressantes na UFU. A confusão pode advir do facto de parabenizar ser parafraseável por dar os parabéns a, expressão que não dispensa a preposição, como se pode verificar pela seguinte substituição: o Banco real dá os parabéns aos ingressantes na UFU.



Como deve ser pronunciada a palavra parece como na frase Ele parece estar cansado. Já ouvi a pronúncia aberta e também a fechada na segunda sílaba. Também a palavra interesse, como no caso Tenho interesse no assunto, coloca dúvidas.
A questão diz respeito à qualidade da última vogal do radical do verbo (ex.: parecer) na terceira pessoa do presente do indicativo. No caso em apreço, não se trata de uma característica pontual do verbo parecer, mas do sistema verbal da segunda conjugação (a dos verbos em -er, a que pertence o verbo parecer).

Nesta conjugação, quando as formas verbais são rizotónicas (isto é, com acento tónico na última vogal do radical; ex.: parece, pareça) e a última vogal do radical é e (ex.: parecer, meter) ou o (ex.: comer, socorrer), o padrão fonético mais geral (com várias excepções) é:
a) ter a última vogal do radical fechada (isto é, com o som ê ou ô, respectivamente) na primeira pessoa do singular do presente do indicativo (ex.: eu pareço, eu socorro), no presente do conjuntivo (ex.: que eu pareça, que eles socorram) e na terceira pessoa do imperativo (ex.: socorram aquele homem).
b) ter a última vogal do radical aberta (isto é, com o som é ou ó, respectivamente) na segunda e terceira pessoas do singular e na terceira pessoa do plural do presente do indicativo (ex.: tu pareces, eles socorrem) e na segunda pessoa do singular do imperativo (ex.: socorre aquele homem).

No caso do substantivo interesse, a norma culta (apresentada por dicionários, vocabulários e outras obras de referência) preconiza que a vogal tónica (interesse) seja lida ê. Esta pronúncia deverá diferenciar este substantivo da forma verbal interesse correspondente à primeira e terceira pessoas do singular do presente do conjuntivo do verbo interessar (que eu/ele interesse). No caso deste verbo e dos outros verbos da primeira conjugação cuja última vogal do radical é e (ex.: levar) ou o (ex.: escovar, mostrar), a vogal do radical nas formas rizotónicas é usualmente aberta (isto é, com o som é ou ó, respectivamente; ex.: interesse, interessam, levo, levem, escovo, escovas, mostram, mostre).

Palavra do dia

es·ca·dó·ri·o es·ca·dó·ri·o


(escada + -ório)
nome masculino

1. Escadaria que tem capelas em cada patamar.

2. [Informal]   [Informal]  Escada monumental.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/botic%C3%AF%C2%BF%C2%BD%C3%AF%C2%BF%C2%BDo [consultado em 27-11-2022]