Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

mãe-parida

mãe-paridamãe-parida | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mãe·-pa·ri·da mãe·-pa·ri·da


nome feminino

[Brasil]   [Brasil]   [Culinária]   [Culinária]  Fatia de pão embebida em leite e frita, depois de passada por ovo, que se serve geralmente polvilhada de açúcar e canela ou com calda. = RABANADA

Plural: mães-paridas.Plural: mães-paridas.
pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

A Justiça baiana condenou o Hospital Manoel Novaes e a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna a indenizar um pai e uma mãe em R$ 500 mil pela morte da filha por erro médico, dias após o parto. Segundo a ação, os dois eram pais de uma jovem menor de idade, que deu à luz uma menina, em maio de 2008

Em Rede Brasil de Noticias - O Point da Informação

Menino tem "boquinha de marmelada" para rimar com "... a minha mãe não tem nada", e "boquinha de requeijão" rima com "... a minha mãe não tem pão.". O Deus Menino tudo merece. Da contemplação deslumbrada por um postigo entreaberto, merecedor de uma cadeirinha de oiro, mas também de papa doce, sopinhas da

Em A Nossa R

. Se era branco, a mesma coisa. Se estava entre o branco e o preto, para não lhe chamarmos cinzento, chamavamos-lhe mulato, que é uma bela palavra parida pela Língua Portuguesa. Já a malta do Índico era monhé ou patrícia e ninguém ficava com problemas de estômago por causa disso. É certo que as coisas

Em blogville

trabalhos indignos com a imagem de Jesus Cristo. Como mãe apreciadora de arte “artística”, não iria a uma exposição que mostra obras com legendas como “Criança Viada, Travesti da Balada” e cuja fruição estética é, vejamos… nenhuma. Como cristã, preferiria que não houvesse uma exposição dessas, mas, já que

Em *BLOG do ORLANDO TAMBOSI*

ROSA DE ALFAMA (A ROSEIRA NÃO SERÁ ESQUECIDA) (Romasi) Rogério Martins Simões A Rosa, Rosa das escuras ruas de Alfama, Era rosa, Filha de Roseira Brava Que vendia sardinha de Barrica. A Rosa Não nasceu num berço de oiro Nem nasceu menina rica. Sua mãe a pariu Quase morta Numa manhã invernosa A

Em POEMAS DE AMOR E DOR
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a correta grafia: sub-bosque ou subosque?
O prefixo sub- deve ser seguido de hífen quando o elemento seguinte se inicia por b, uma vez que se trata da mesma consoante por que termina o prefixo, como prevê o Acordo Ortográfico de 1945 (para o português de Portugal). O Formulário Ortográfico de 1943 (para o português do Brasil) não tem este contexto previsto no uso do hífen, mas o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) da Academia Brasileira de Letras regista esta forma e outras com a sequência sub-b...; a par disto, é de referir que também as formas subosque e sobosque estão registadas no VOLP, depreendendo-se a sua origem nas formas prefixais su- e so-, respectivamente, equivalentes a sub- e sob-, mas de contexto ortográfico diferente (daí o facto de não serem formas hifenizadas).

Este contexto ortográfico não sofre alteração com a aplicação do novo Acordo Ortográfico de 1990, pois, apesar de o texto do Acordo ser omisso neste ponto (cf. Base XVI), a "Nota Explicativa" anexa ao referido texto prevê o uso do hífen: "6.3 - O hífen nas formas derivadas (base XVI) [...] a) Emprega-se o hífen quando o segundo elemento da formação começa por h ou pela mesma vogal ou consoante com que termina o prefixo ou pseudoprefixo (por exemplo: anti-higiénico, contra-almirante, hiper-resistente) [...]" (sublinhado nosso).

Por este motivo, pode dizer-se que a forma sub-bosque está correcta, bem como as formas sobosque ou subosque, apesar de estas duas últimas preverem o uso de prefixos equivalentes a sob- ou sub-, que serão menos consensuais (o prefixo su- com este sentido não se encontra registado em nenhuma obra lexicográfica por nós consultada).




Diz-se: pós-venda ou após-venda?
Ambas as formações são possíveis, sendo pós-venda mais comum e registada em mais dicionários de língua.

O prefixo de origem latina pós- indica a noção de “posteridade” no tempo (ex.: pós-graduação, pós-guerra, pós-venda) ou no espaço (ex.: pós-palatal) e é sempre seguido de hífen.

Ocasionalmente, surgem pares construídos com o elemento após-, como após-guerra ou após-venda, mas são menos usuais.

Este uso de após- como prefixo não é tão frequente quanto pós- e não deve ser confundido com alguns usos da preposição após: O burlão foi preso após venda de material falsificado; As duas facções assinaram o acordo de paz após guerra sangrenta que durou anos. Nestes casos, a preposição após é sinónima de “depois de”.

pub

Palavra do dia

qui·ro·po·dis·ta qui·ro·po·dis·ta


(quiropodia + -ista)
nome de dois géneros

Especialista em quiropodia ou no tratamento das doenças e dos problemas dos pés.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/m%C3%A3e-parida [consultado em 17-08-2022]